Produtora diz que Woodstock no Brasil é 'mera especulação'

Em nota oficial, Eduardo Fischer nega informações sobre data, local e possíveis bandas que fariam parte da edição brasileira do festival

Eduardo Roberto, do estadão.com.br

08 de abril de 2010 | 18h28

Em nota oficial, o grupo TotalCom, em parceria com a Groove Concept, anunciou nesta quinta-feira, 8, que as "informações que circulam na "imprensa nacional e internacional" sobre a realização de uma versão brasileira do mítico festival Woodstock em outubro "não passam de mera especulação."

 

Veja também:

linkBrasil vai ter seu Woodstock Festival, em outubro

 

Na quarta-feira a produtora Groove Concept, de Milkon ‘Mac’ Chriesler, havia confirmado a realização do evento. O local e as datas, porém, ainda estariam sido estudados, segundo informações da assessoria da empresa.

 

Especulava-se sobre a vinda dos roqueiros do Green Day, Bob Dylan, Foo Fighters e Linkin Park. Além deles, a organização estaria sondando mais nomes de peso para o Woodstock tupiniquim, como Smashing Pumpkins, Rage Against The Machine, Pearl Jam e Limp Bizkit.

 

O grupo TotalCom é encabeçado pelo empresário e publicitário Eduardo Fischer. Segundo as primeiras informações, a produção do evento ficaria a cargo da Groove Concept, que cuidou do festival Maquinaria, que aconteceu em São Paulo em 2008 e 2009.

 

A empresa de Eduardo Fischer também não confirma boatos sobre a expansão do Maquinaria para outros países da América Latina. "Informações oficiais sobre eventual realização do evento serão divulgadas oportunamente", diz a nota.

 

O publicitário Eduardo Fischer comprou no ano passado os direitos de uma nova versão da Feira de Arte & Música Woodstock. A primeira edição aconteceu há 41 anos, em 15 de agosto de 1969, na cidadezinha de Bethel, Nova York.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.