Produtora busca obras de Tarsila para fechar catalogação

Faltam ainda serem encontrados quadros fundamentais da pintora modernista

Agencia Estado

27 Junho 2007 | 13h54

O livro Tarsila - Sua Obra e Seu Tempo (Editora Perspectiva, Edusp), de 1975, da historiadora Aracy Amaral, é referência sobre a produção da pintora brasileira. Nele consta uma ampla seleção de obras de Tarsila do Amaral (1886-1973) - cerca de mil -, o que transformou a publicação numa espécie de primeiro passo em direção ao processo de catalogação da produção da artista. Desde março de 2006 a produtora cultural Base 7, de Ricardo Ribenboim, Arnaldo Spindel e Maria Eugênia Saturni, vem se dedicando ao projeto de realização do catálogo raisonné da obra de Tarsila, patrocinado pela Petrobrás em R$ 1,5 milhão. Pelo levantamento de uma vasta bibliografia - até mesmo com a ajuda dos arquivos da historiadora Aracy Amaral, consultora-geral do projeto -, tem-se a idéia de que Tarsila produziu umas 2.500 obras. Mas, até agora, desse total, foram encontradas pela Base 7 cerca de 1.700 - delas, até o momento, 264 pinturas. O prazo estipulado para o levantamento das obras de Tarsila está terminando agora entre junho e julho e faltam ainda serem encontradas peças fundamentais. Como o quadro Academia nº 1 - Estudo La Tasse, de 1923, "da época em que Tarsila freqüentou o ateliê de Fernand Léger em Paris", como diz Regina Teixeira de Barros, curadora da Pinacoteca do Estado e pesquisadora-responsável do projeto, ou as telas Canto de Ateliê, de 1921, e Meu Ateliê, de 1918, ambas de bem do início de sua carreira. "Elas devem estar em São Paulo, em alguma fazenda no interior do Estado", diz Maria Eugênia Saturni, coordenadora do projeto. "Da década de 1970 para cá, as pessoas que têm obras de Tarsila se retraíram muito com medo de roubos e mesmo por problemas de imposto de renda", diz Regina. Por isso, elas frisam que os nomes dos colecionadores não aparecerão no trabalho - apenas na versão integral que será entregue à Pinacoteca (colecionadores podem entrar em contato por meio do tel. 3088-4530 ou pelo e-mail tarsila@base7.com.br). Além de pinturas, Tarsila realizou vasto número de desenhos, ilustrações, gravuras e até poucas 10 esculturas. O levantamento de todo o material será colocado em CD-ROM. Depois, o catálogo será publicado em três volumes (um dedicado apenas à pintura), com patrocínio também da Petrobrás, de R$ 1,3 milhão. O projeto Tarsila será fechado com a realização em janeiro, na Pinacoteca, da mostra Tarsila Viajante, com 30 pinturas e 15 desenhos, exposição com curadoria de Regina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.