Processo contra Xuxa volta para o Rio

Está longe do fim o processo trabalhista que está sendo movido contra Xuxa por seu ex-segurança Leonílson Vieira de Oliveira. A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) em Brasília anulou acórdão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio de Janeiro e determinou o retorno de processo - movido por Leonílson contra a Xuxa e duas de suas empresas, a Beijinho Beijinho Promoções Artísticas e Xuxa Promoções Produções Artísticas - para nova apreciação pelo Tribunal estadual.Leonílson afirmou que começou a trabalhar como segurança pessoal da apresentadora em 1º de agosto de 1988, mas só teve a carteira de trabalho assinada a partir de janeiro de 1989. Ele disse que trabalhava nas residências, locais de trabalho, de shows e onde quer que Xuxa se encontrasse. Embora sua jornada de trabalho oficial fosse das 9h às 18h, afirmou que ficava 24 horas à disposição de Xuxa. Leonílson alegou que acompanhava a apresentadora como guarda-costas em excursões e turnês por todo o País e a compromissos por ela agendados no exterior, sem jamais ter sido remunerado pelos serviços extraordinários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.