Priscilla Darolt usa elegância e androginia na SPFW

O porta-jóias com uma bailarina se abre e de dentro sai uma mulher com roupas que evoluem com o passar do tempo. A primeira modelo vem com look estruturado com base em técnicas de alfaiataria, que evolui para as saias e vestidos curtinhos de tutu e chega à forma mais sequinha - calça clássica, que joga com códigos de elegância e androginia. Foi nessa caixinha de surpresas que a estilista Priscilla Darolt se inspirou para criar sua coleção de verão, apresentada hoje, último dia da 25ª São Paulo Fashion Week (SPFW).Shorts com cintura alta, jaquetinhas com mangas três quartos e algumas blusas com babados completam a cartela de peças da coleção. Dentre os tecidos, a seda e o algodão acetinado dão vida e um brilho contido às roupas. As cores são mais básicas, sem extravagância: ocre com luzes de vinho e azul-celeste. As peças surgiram com estamparia de camafeus, bordadas com corrente de bicicleta e com imagens de jóias. Nos pés, sandálias bota mais pesadas e com fivelas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.