Divulgação
Divulgação

Prisão de 'vampiro' nos EUA provoca debate sobre a cultura pop

Jovem foi encontrado rosnando e silvando, e alegou à polícia ser um vampiro de 500 anos que precisava se alimentar

Deborah Quinn Hensel, Reuters

18 de agosto de 2011 | 14h52

HOUSTON, EUA (Reuters) - A prisão de um americano que invadiu a casa de uma mulher e tentou sugar o sangue dela, no final de semana, provocou debates sobre o impacto de livros e filmes de vampiros na cultura jovem dos Estados Unidos.

 

Embora ainda não tenha sido provado que a cultura pop desempenhou um papel no ataque, Lyle Monroe Bensley, de 19 anos, espera na cadeia uma avaliação psiquiátrica pelas acusações de arrombamento da residência, em Galveston, Texas.

 

Encontrado rosnando e silvando em um estacionamento, e usando apenas cueca samba-canção, Bensley alegou ser um vampiro de 500 anos de idade que precisava se "alimentar", disse o capitão da polícia de Galveston, Jeff Heyse.

 

Vampiros são um tema central na literatura desde o romance Drácula, de Bram Stoker, em 1897. Mas a fascinação por esses seres, principalmente entre os jovens, aumentou nos últimos anos com a popularidade dos livros da saga Crepúsculo sobre vampiros adolescentes, e o seriado True Blood, da TV.

 

"Eu acho que o vampiro é uma metáfora para o estranho e o predador em todos nós", disse a escritora Anne Rice, cuja série Crônicas Vampirescas captura a imaginação dos fãs do terror desde os anos 1970.

 

Bensley está sendo mantido na prisão do condado de Galveston e só poderá sair com pagamento de fiança de 40 mil dólares, por ter invadido uma casa com a intenção de cometer um crime.

 

A vítima, que morava perto de Bensley mas não o conhecia, escapou incólume do ataque, disse Heyse.

 

Thomas Garza, que ministra um curso sobre a lenda dos vampiros na Universidade do Texas, disse que jovens podem aspirar a ser vampiros porque esses seres trapaceiam a morte e conseguem permanecer bonitos, poderosos e jovens pela eternidade.

 

O vampiro moderno na cultura popular é mais atraente, suave e mais na moda do que os vampiros eslavos do Velho Mundo, o que aumentou seu apelo, acrescentou.

 

"Eu diria que foi a saga de Crepúsculo em particular que fez os fãs adolescentes se assumirem. Nesta relação, Edward é um vampiro muito "seguro", um tipo de "vampiro" para iniciantes", disse Garza.

Tudo o que sabemos sobre:
CrepúsculoVampiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.