Príncipe de Mônaco processa clube de NY por briga em fevereiro

O príncipe de Mônaco Pierre Casiraghi, que levou um soco no rosto durante uma briga em Nova York em fevereiro, está processando dois homens e uma popular discoteca de Manhattan pelo incidente e pedindo uma indenização não especificada.

LILY KUO, Reuters

17 Julho 2012 | 13h40

Casiraghi, o terceiro na linha sucessória do trono do principado, registrou a queixa no sábado no tribunal civil em Nova York, dizendo que ele e outros três homens foram atacados pelo ex-restaurateur Adam Hock, 47 anos, no clube The Double Seven, no popular Meat Packing District, de Nova York.

O príncipe de 24 anos de idade, cujo país mediterrâneo é menor do que o Central Park de Nova York, também acusou o clube e o proprietário Jeffrey Jah de negligência.

A ação que pede a indenização vem meses depois de o príncipe e três de seus amigos apresentarem uma queixa-crime contra Hock, acusando-o de bater no rosto deles em uma briga que eclodiu no clube nas primeiras horas da manhã de 18 de fevereiro.

Casiraghi e os três amigos, incluindo Stavros Niarchos, ex-namorado da herdeira de hotéis Paris Hilton, estavam bebendo com Hock e Jah na área VIP do clube.

"Em 18 de fevereiro de 2012, os autores da ação foram agredidos, golpeados e atacados pelo réu Adam Hock', segundo a queixa.

O advogado de Hock Sal Strazzullo sustentou que ele agiu em legítima defesa e responderia à queixa no prazo de um mês.

"Meu cliente foi o único que foi atacado por três indivíduos e vamos defender esses fatos", disse. O fato de o príncipe estar apresentando uma queixa civil, enquanto as queixas-crime ainda estavam pendentes indicava que essas alegações poderiam ser rejeitadas, acrescentou o advogado.

A queixa afirma que Hock estava obviamente bêbado e culpou o clube e Jah por servir álcool a ele. Jah e representantes do Double Seven não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

O príncipe acusou Hock de difamação por chamar ele e seus amigos de "caras bêbados que sentiram que mereciam a mesa principal com as meninas mais bonitas" e dizendo que ele e seus amigos estavam inadequadamente tocando e "agarrando" as mulheres.

Ele também apresentou uma acusação de difamação contra Strazzullo por supostamente ter dito que o príncipe e sua comitiva tinham batido primeiro.

Casiraghi, que mora na Itália, não indicou o quanto ele estava pedindo em danos compensatórios e punitivos.

Ele é o filho da princesa Caroline de Mônaco e de seu segundo marido, que morre em um acidente de barco quando Pierre Casiraghi era uma criança. Ele também é neto da falecida atriz de Hollywood Grace Kelly.

Mais conteúdo sobre:
GENTE PRINCIPEMONACO PROCESSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.