Principais espetáculos são para todas as idades

Grupos brasileiros e de mais seis países prometem fazer do I Festival Internacional Telemig Celular de Bonecos uma grande festa. Os espetáculos apresentam temas variados, dirigidos tanto ao público infantil como ao público adulto. O grupo italiano Arrivano Del Mare!, por exemplo, traz dois clássicos da literatura infantil: Chapéuzinho Vermelho e Pinóquio. Em ambos, a técnica utilizada é o teatro de objetos, que encanta o público com a fantasia do imaginário infantil. Do Brasil, o grupo curitibano Os Filhos da Lua apresenta o espetáculo Nau, Um Poema Cênico, que ganhou o Prêmio Gralha Azul/95 de melhor texto e melhor ator e já foi exibido na Europa. Nau... é um espetáculo interativo no seu jogo cênico: teatro de bonecos, música e expressão corporal. O texto foi inspirado nas grandes navegações, motivadas pela necessidade de expansão econômica da Europa nos séculos XV e XVI. Já na montagem Cuentos Pequenos, do Teatro Hugo e Inês, do Peru, o tema é o cotidiano. A base do trabalho é a mímica e o teatro de figuras animadas. É um desfile pitoresco de divertidos personagens que, na sua breve existência em cena, procuram captar momentos poéticos que se encontram escondidos no dia-a-dia. A dupla tem explorado as possibilidades de expressão de cada parte do corpo humano - mãos, pés, joelhos, rosto - ampliando seu campo de experimentação, com a mímica e a figura teatral. Outro grupo brasileiro, a Zero Companhia de Bonecos, de Belo Horizonte, apresenta o espetáculo A Bolsa Amarela. Nele, Raquel, a personagem principal, tem uma bolsa amarela recheada com três vontades. Quando seus sonhos e vontades amadurecem e se realizam, a bolsa fica leve, pronta para ser recheada de novo. O espetáculo utiliza a técnica Bunraku, a manipulação direta sobre balcão, e é dirigido para crianças acima de 10 anos de idade. Outra técnica que vai ser apresentada ao público é a do teatro de sombras. Quem mostra a novidade é o Grupo La Cònica, da Espanha, com Ombres D´objectes Trobats (em português, Sombras de Objetos Encontrados). Nele, sombras das ruas de Barcelona são vistas em composições artísticas e efêmeras, acompanhadas de músicas do mundo inteiro. Com imagens e som, a proposta é fazer com que o espectador perca a noção de tempo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.