Primavera-verão traz leveza e cores cítricas

Miele e Herchcovitch exibem novas coleções em Nova York

Tonica Chagas ESPECIAL PARA O ESTADO NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

As borboletas levaram o estilista brasileiro Carlos Miele a criar uma coleção para fazer as mulheres se sentirem leves e coloridas na próxima temporada de primavera e verão. No desfile que fez na segunda-feira, na semana de moda de Nova York, Miele exibiu de longos transparentes a mínis iridescentes, passou de vestidos curvilíneos a calças cargo, mesclou artesanato e diamantes e embalou seu show com Bebel Gilberto cantando, ao vivo, Another Brick in the Wall.

"Não acredito em paredes", disse Miele depois do desfile para explicar a escolha da música de protesto do Pink Floyd, de 1979, como trilha musical. Por isso sua nova coleção foi pensada para "borboletear" de uma ocasião para a outra, harmonizando, por exemplo, os fuxicos, rosáceas feitas por costureiras da Favela da Rocinha e transformadas numa das marcas dele, com joias da linha assinada pela socialite e ex-modelo americana Ivanka Trump, que completou os 33 modelos exibidos no desfile.

A mescla também se estende aos tecidos. A predominância é do crepe, seguido pelo chifon, pela seda, organza e pelo tule nos longos, com cetim e brim nos curtos. A palheta de Miele nesta coleção passa do branco para o verde-limão, azul real, coral, dourado e chega ao preto, com detalhes como zíperes aplicados, dreadlocks e bordados geométricos. As borboletas aparecem grandes e coloridas sobre fundo branco ou em imagens distorcidas em computador e estampadas sobre o cítrico.

Miele, que desde 2002 só lança suas coleções na semana de moda de Nova York, teve a desta temporada exibida ao vivo pela internet, uma das novidades que os estilistas puderam acrescentar aos seus desfiles com a mudança do evento do Bryant Park para o Lincoln Center. "Hoje, em muitos grandes centros, a moda é mais popular do que o esporte e é maravilhoso que a informação sobre ela seja acessível a todo mundo e em tempo real", comemorou Miele.

Manchas de tinta. Alexandre Herchcovitch, outro estilista brasileiro com sua marca no circuito internacional de moda, também apresentou coleção segunda-feira na semana nova-iorquina, voltada principalmente para compradores e imprensa especializada. A primavera-verão dele, que estreou em junho na semana de moda de São Paulo, partiu da ideia de trabalhar com cores e resultou no que ele compara a "manchas de tinta flutuantes", em vestidos com mangas bufantes e grandes recortes.

Se antes as apresentações de Herchcovitch em Nova York eram marcadas por drag queens exuberantes, agora elas estão entre as preferidas de japoneses. De senhoras de elegância tradicional a fashionistas de roupas e cortes de cabelo singulares, cerca de 30 ocupavam o primeiro bloco de assentos à esquerda da passarela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.