Preso suspeito de roubo das obras de Munch

A polícia de Oslo acusou formalmente um dos suspeitos de ter roubado os famosos quadros O Grito e A Madona de Edvard Munch, em 22 de agosto, no Museu Munch. Um homem de 37 anos, residente em Enebakk, leste da Noruega, foi preso sob a acusação de ter fornecido aos ladrões um Audi S4 usado para a fuga. Um porta-voz da polícia afirmou que em breve as obras serão recuperadas.Supõe-se que o acusado saiba quem foram as pessoas que tiraram os quadros do Museu Munch e que a polícia também conheça a identidade dos autores do roubo, segundo informaram fontes próximas dos investigadores."A polícia acredita que vai encontrar os quadros", declarou o policial Morten Hojem Ervik. Vários inspetores fizeram uma busca na casa do homem detido, mas não encontraram nada relevante. Ele já havia sido interrogado anteriormente sobre o caso e de sua ficha criminal constam pequenas infrações, como o roubo de 2 milhões de euros de um carro blindado, entre outras, mas nunca chegou a ser condenado por falta de provas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.