Preso quarto suspeito de roubar telas de Munch

A polícia norueguesa prendeu hoje um quarto suspeito de ter participado do roubo de duas obras-primas de Edvard Munch, O Grito e Madonna, em agosto passado. O homem de cerca de trinta anos, que não foi identificado, foi preso em seu local de trabalho na manhã de hoje, em Oslo, disse o policial Morten Hojem. Este é o quarto suspeito preso por possível ligação com o roubo das obras, que foram roubadas por homens armados do Museu Munch, em Oslo, em plena luz do dia. A primeira prisão aconteceu em 8 de março. "Parece que estamos tendo bom progresso", disse Hojem Ervik, afirmando que mais prisões devem ocorrer. Hojem Ervik não quis dar mais informações sobre as acusações contra o homem, mas disse que "nós não pensamos que ele tenha participado de fato do roubo, mas que ele contribuiu de alguma forma". A mídia norueguesa noticiou recentemente que as obras-primas podem ter sido queimadas pelos ladrões, apesar de a polícia negar tal hipótese. Hojem Ervik disse que a polícia "está otimista de que poderemos encontrar as telas e trazê-las de volta para seu verdadeiro dono. Se elas estarão na mesma condição em que foram retiradas do museu, é difícil dizer", ele disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.