Presidente português lamenta morte de Jorge Amado

O presidente de Portugal, Jorge Sampaio, enviou hoje carta ao presidente Fernando Henrique Cardoso, para transmitir, em seu nome e do povo português, as "sentidas condolências" pela morte do escritor baiano Jorge Amado. Na carta, Sampaio destaca o talento de "contador de histórias" de Jorge Amado e a contribuição do romancista brasileiro para renovação e vitalidade da língua portuguesa."O Prêmio Camões que lhe foi atribuído representou o justíssimo reconhecimento prestado por todos os que falam português", disse o presidente de Portugal. Sampaio comentou ainda que embora tenha sempre se mantido fiel à sua "Baía natal", a obra de Jorge Amado tornou-se universal. "De uma energia vital transbordante e de uma imaginação riquíssima, nela ecoam as perplexidades, os sonhos, os desejos, as utopias e também as desilusões no combate por um mundo mais humano e mais justo."

Agencia Estado,

07 de agosto de 2001 | 21h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.