Presidente egípcio homenageia o escritor Naguib Mahfouz

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, homenageou nesta quarta-feira Naguib Mahfouz, um "escritor que fez com que a cultura e a literatura árabes fossem conhecidas em todo o mundo". Mahfuz morreu nesta manhã em um hospital do Cairo, onde estava internado há 44 dias em razão de problemas pulmonares e renais. Naguib Mahfouz, de 94 anos, "era um escritor excepcional, um pensador culto e criativo, um escritor que fez com que a cultura e a literatura árabes fossem conhecidas em todo o mundo", declarou Mubarak em um comunicado divulgado pela agência de notícias "Mena". Em seus romances, Mahfouz expressou "os valores comuns à humanidade e por meio de seus escritos divulgou os valores da tolerância contra o extremismo", acrescentou. O presidente Mubarak "oferece as suas condolências à família do falecido, ao povo egípcio e à nação árabe". Há quem considere Mahfouz, nascido no Cairo em 1911, o o maior cronista do Egito contemporâneo. Em 1998, ele foi o primeiro e, até agora, o único romancista em língua árabe a receber o prêmio Nobel da Literatura. No Brasil, suas obras foram publicadas por várias editoras, destacando-se, entre seus mais de 50 livros, "O Beco do Pilão" (Planeta) e "Noites das Mil e uma Noites" (Companhia das Letras).

Agencia Estado,

30 de agosto de 2006 | 11h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.