Presidente da OAB chama juiz de "sensacionalista"

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Reginaldo de Castro, acusou de "sensacionalista" o juiz da 1.ª Vara da Infância e da Juventude do Rio, Siro Darlan, ao referir-se sobre a decisão de proibir a participação de menores no elenco da novela Laços de Família, da Rede Globo. Castro fez a acusação em resposta às declarações do juiz à Agência Estado, de que o dirigente da OAB talvez desconhecesse o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e que precisaria ganhar um exemplar de presente.Segundo Castro, em vez de "tentar impedir o trabalho de crianças e adolescentes que atuam na novela", o juiz Siro Darlan deveria analisar a situação de cada um deles para adequá-la às normas previstas no estatuto. Para Castro, o juiz "julgou mal" a questão envolvendo a novela Laços de Família. Ele afirmou, também, que como defensor da liberdade de expressão não vai admitir decisões como a de Darlan. Na opinião de Castro, a medida do juiz contra a Rede Globo "tem a finalidade de reintroduzir no País a censura aos meios de comunicação". O presidente da OAB criticou, ainda, a ameaça de Darlan em tirar a emissora do ar por um período de 15 dias, caso não sejam cumpridas as determinações judiciais sobre a retirada dos menores do elenco das novela das oito. Para ele, a medida seria "descabida", por constituir-se numa violação ao direito de liberdade de expressão assegurado na Constituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.