Presidente da Dior critica Galliano

O presidente da Dior, Sidney Toledano, criticou ontem as declarações "intoleráveis" de John Galliano, durante a abertura do último desfile criado pelo estilista britânico para a grife. A Dior, que é a unidade mais valiosa do maior grupo de luxo do mundo, o LVMH, demitiu Galliano, na terça-feira por declarações antissemitas dele gravadas em vídeo, nas quais expressou admiração por Adolf Hitler. "O fato de que o nome da Dior possa ter sido manchado, por intermédio de seu estilista, por mais brilhante que ele seja, é muito doloroso para nós", declarou Toledano. O profissional mais provável para substituir Galliano na Dior é Riccardo Tisci, estilista da Givenchy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.