Prêmio tenta resgatar glamour de NY

O mundo da moda tentou recuperar um pouco do glamour que vem desaparecendo das passarelas locais nas últimas temporadas com mais uma edição do American Fashion Awards. Organizado pelo Council of Fashion Designers of America, que representa os estilistas do país e até agora produzia a New York Fashion Week, o evento teve a entrega de um prêmio para o conjunto da obra de Calvin Klein e a eleição de Tom Ford como o estilista de roupas femininas do ano.O prêmio teve cara de encerramento de uma era. Fern Mallis, que foi por dez anos a poderosa diretora do CFDA, deixa o cargo, agora que os desfiles da cidade vão ser organizados pela empresa de promoções I.M.G. O "lifetime achievement award" de Klein também coloca o principal estilista da moda nova-iorquina em posição hours concours. E Helmut Lang estaria considerando voltar a realizar seus desfiles na Europa. Nova York, ao que tudo indica, vai ter de se reinventar.Talvez para emprestar um pouco da atenção da moda européia, o American Fashion Awards adotou um perfil mais global. A começar pelo prêmio especial dado a Bernard Arnault, o chefão do conglomerado LVMH (que nos últimos anos comprou Givenchy, Christian Dior e Donna Karan, entre outras marcas). Ele foi homenageado por seu trabalho de "globalização da moda". Para não encontrar seu arqui-inimigo Tom Ford (que era o favorito e acabou levando o prêmio mais importante da noite), Arnault resolveu enviar um agradecimento em vídeo.Nicolas Ghesquiere, de 29 anos, ficou com o prêmio de estilista internacional do ano; enquanto John Varvatos, que já trabalhou com Ralph Lauren e Calvin Klein, foi considerado o melhor estilista de roupas masculinas. A renovação da imagem da Coach foi consagrada com o prêmio dado a Reed Krakoff, de melhor desenhista de acessórios. Os bons tempos da moda nova-iorquina foram celebrados com uma homenagem à carreira de Bob Mackie, que ficou conhecido pelos vestidos usados por Cher, e por um protesto contra o uso de peles: uma ativista jogou uma gosma em direção a Calvin Klein e sua ex-mulher, Kelly, que foi obrigada a voltar para casa para trocar de vestido. Karl Lagerfeld também virou alvo do protesto. Os dois estilistas têm usado animais em suas últimas coleções.Celebridades que apareceram no American Fashion Awards foram Diana Ross, Brendan Fraser, Heather Graham, Naomi Campbell, Chris Noth (de O Sexo e a Cidade), a modelo James King e as brasileiras Fernanda Tavares e Caroline Ribeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.