Prêmio Shell consagra "Novas Diretrizes"

Os vencedores da edição paulista do Prêmio Shell 2002 foram anunciados ontem, com festa no Espasso Araguari, no Jardim Europa. Novas Diretrizes em Tempos de Paz foi a grande vecendora, com três prêmios: autor (Bosco Brasil), ator (Dan Stulbach) e iluminação (Gianni Ratto). Os Sertões levou dois troféus: melhor direção, para Zé Celso Martinez Corrêa, e música, para Coro 1989, Coro da Terra 2002, Zé Celso, Tom Zé, José Miguel Wisnick, Celso Sim, Marcelo Pellegrini e Letícia Coura.A júri integrado por Beth Néspoli, de O Estado de S.Paulo, Aimar Labaki, Kil Abreu, Maria Lúcia Candeias e Silvana Garcia premiou ainda Juliana Galdhino na categoria melhor atriz, por Medéia 2, de Antunes Filho, Daniela Thomas pelo cenário de Os Solitários, e Cassio Brasil pelo figurino de Frankensteins. Débora Duboc, Elcio Nogueira Seixas, Fernando Bonassi, Luah Guimarãez e Renato Borghi levaram ainda o prêmio especial pela curadoria da Mostra de Dramaturgia Contemporânea.Rio - A edição carioca do prêmio acontece na próxima terça-feira. Novas Diretrizes também está no páreo, mas apenas na categoria melhor ator, e não para Dan Stulbach, mas para Toni Ramos, com quem contracena. As peças que acumulam o maior número de indicações ao Shell do Rio são Os Sete Afluentes do Rio Ota, Pessoas Invisíveis, Mamãe Não Pode Saber e As Artimanhas de Scapino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.