Prêmio Shell anuncia finalistas no Rio

Os jurados do 15.ª edição carioca do Prêmio Shell de Teatro anunciaram nesta segunda-feira os indicados nas oito categorias e mais a categoria especial. O prêmio será entregue aos melhores do teatro no Rio em 2002, numa cerimônia no final de março. Para cada categoria são indicados quatro concorrentes. A escolha é feita por semestre de exibição da montagem. Os jurados indicam dois candidatos por semestre. Cada vencedor do Prêmio Shell ganha R$ 8 mil, além do tradicional troféu em forma de concha. A categoria especial confere um prêmio a profissionais não relacionados nas outras categorias, mas cuja contribuição ao teatro é considerada importante. Os jurados da versão carioca do prêmio neste ano foram Bernardo Jablonski, Lionel Fischer, Maria Fernanda Meirelles, Fabiana Valor e Sérgio Fonta. Confira os indicados. Autor Luiz Paulo Corrêa e Castro por Noites do Vidigal (1.º semestre) Walcir Carrasco por Êxtase (1.º semestre) Maurício Arruda de Mendonça e Paulo de Moraes por Pessoas Invisíveis (2.º semestre) Álvaro César Guimarães por Jung: Do Divã ao Divino (2.º semestre) Direção Aderbal Freire Filho por A Prova (1.º semestre) Daniel Herz por As Artimanhas de Scapino (1.º semestre) Monique Gardenberg por Os Sete Afluentes do Rio Ota (2.º semestre) Ivan Sugahara por Vida, O Filme (2.º semestre) Ator Lázaro Ramos por Mamãe Não Pode Saber (1.º semestre) Charles Fricks por As Artimanhas de Scapino (1.º semestre) Caco Ciocler por Os Sete Afluentes do Rio Ota (2.º semestre) Toni Ramos por Novas Diretrizes em Tempos de Paz (2.º semestre) Atriz Andréa Beltrão por A Prova (1.º semestre) Drica Moraes por Mamãe Não Pode Saber (1.º semestre) Cleyde Yácones por Longa Jornada de um Dia Noite Adentro (2.º semestre) Simone Mazzer por Pessoas Invisíveis (2.º semestre) Cenário Ronald Teixeira por Entre o Céu e o Inferno (1.º semestre) Fernando Mello da Costa por Viver (1.º semestre) Hélio Eichbauer por Os Sete Afluentes do Rio Ota (2.º semestre) Paulo de Moraes e Carla Berri por Pessoas Invisíveis (2.º semestre) José Dias por Teresa d´Ávila, a Santa Descalça (2.º semestre) Figurino Heloísa Frederico por As Artimanhas de Scapino (1.º semestre) Marcelo Olinto por Meu Destino é Pecar (1.º semestre) Coca Serpa por Arlequim, Servidor de Dois Patrões (2.º semestre) Marcelo Pies por Os Sete Afluentes do Rio Ota (2.º semestre) Iluminação Carina Camurati por Mamãe Não Pode Saber (1.º semestre) Maneco Quinderé por O Falcão e o Imperador (1.º semestre) Renato Machado por Teresa d´Ávila, a Santa Descalça (2.º semestre) Maneco Quinderé por Os Sete Afluentes do Rio Ota (2.º semestre)vMúsica Marcos Ribas por A Prova (1.º semestre) Gabriel Moura por Noites do Vidigal (1.º semestre) Paulo de Moraes por Pessoas Invisíveis (2.º semestre) André Abujamra por Hamlet é Negro (2.º semestre) Categoria Especial Ação da Cidadania, pela criação do Espaço de Construção da Cultura que, produziu o espetáculo Menino no Meio da Rua (1.º semestre) Nara Keiserman, pela direção de movimento de O Auto do Novilho Furtado (1.º semestre) Cia Ensaio Aberto pelos 10 anos de contribuição por um teatro social. (2.º semestre) Johayne Ildefonso pela preparação corporal nos espetáculos Hamlet é Negro e Telecatch. (2.º semestre)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.