Prêmio Nobel é destaque do penúltimo dia na Flip

Após uma sexta-feira recheada de grandes nomes da literatura, como Amós Óz, Nadine Gordimer, Mia Couto, entre outros, o quarto e penúltimo dia da Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, traz o Prêmio Nobel, J.M. Coetzee. Coetzze protagonizará, sozinho, a mesa "Diário de um ano ruim", às 19 horas. A expectativa é de mesas lotadas neste sábado, 7, que deve registrar os principais picos de movimento na cidade. Durante a apresentação, o escritor australiano lerá trechos do inédito "Diary of a bad year", a ser lançado no Brasil pela editora Companhia das Letras. A Flip 2007, que homenageia o jornalista, escritor e dramaturgo, Nelson Rodrigues, abriu o dia com "Nelson Rodrigues - ato 3", às 10 horas, reunindo o jornalista Nelson Motta, escalado de última hora para substituir o cronista Arnaldo Jabor, e os ensaístas Nuno Ramos e Leyla Perrone-Moysés. O homenageado será centro também do "espetáculo" "Um beijo", dirigido por Bia Lessa e que reunirá diversos escritores que estão na Flip para uma leitura teatral da obra "O beijo no Asfalto", de Nelson Rodrigues. Mais cedo, a mesa "Perdoa-me por te traíres" reuniu a psicanalista brasileira Maria Rita Kehl e o argentino Alan Pauls. O debate teve como foco o amor e suas complicações, que permeiam o relacionamento de diversos casais, entre elas a traição. Pauls questiona a diferença do amor e a doença. Para isso, Maria Rita abordou a parte psicológica deste sentimento que provoca diversas indagações. Também estava previsto para este sábado o debate dos escritores Lawrence Wright e Robert Fisk. Ambos jornalistas, eles são autores de obras importantes da literatura contemporânea e jornalística. Lawrence recebeu o Prêmio Pulitzer por "O Vulto das Torres" (Companhia das Letras), que narra dados mais a fundo sobre o que gerou o atentado do histórico 11 de setembro. Robert, correspondente do "The Independent", colheu críticas elogiosas pelas obras "A grande guerra pela civilização" e "Pobre Nação", trabalhos lançados recentemente pela editora Planeta. Juntos, Robert e Lawrence devem abordar temas que envolvem cobertura de guerra na mesa denominada "Narrativas de conflito", às 17 horas. Agito Paraty está bastante agitada e tomada por universitários, acadêmicos e muitos curiosos que vêm à festa para curtir o agito. No total, são esperados 12 mil turistas, principalmente no final de semana. Crianças se divertem com a Flipinha, evento voltado para esta faixa etária, enquanto interessados em literatura conferem os debates na Tenda dos Autores, ou mesmo na Tenda da Matriz, que transmite as mesas por um telão. À noite, a discussão literária sai dos ares formais e ganha lugar na boemia, nas inúmeras mesas - desta vez, de bar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.