Prêmio lança três novos romancistas

Três novos autores terão seus romances lançados nesta quinta-feira. Eles venceram o Prêmio Fundação Conrado Wessel de Literatura que está em sua primeira edição e cuja premiação é a publicação dos livros. Cunhataí de Filomena Lepecki, Olívio, de Santiago Nazarin e Sonhos de Galinheiro, de Noêmia Ponzeto, foram escolhidos por uma comissão julgadora entre cerca de 100 romances inscritos no concurso. O júri do prêmio era composto pelo escritor Carlos Heitor Cony, pelas professoras Tânia Carvalhal e Beatriz Resende e pelos jornalistas Daniel Piza, do Estado e Carlos Graieb, da revista Veja.Os três novos autores premiados têm trajetórias bem diferentes. A oftalmologista Filomena Lepecki, de 41 anos, deixou toda sua paixão por história passar para as páginas de Cunhataí. Seu livro mistura fatos históricos a ficção para narar um episódio da Guerra do Paraguai. Além de muita pesquisa em documentos históricos, Filomena participou de uma expedição que refez a pé o caminho de militares brasileiros durante uma etapa Guerra do Paraguai conhecida como Retirada da Laguna.O autor de Olívio, Santiago Nazarin, tem 25 anos e passou parte de sua vida viajando sem compromissos pela Europa. Hoje, ele trabalha como redator de mensagens eróticas em um serviço de tele-sexo, mas já foi notícia quando fez uma performance de auto-mutilação no centro de São Paulo para um ensaio fotográfico. Já a cientista social Noêmia Ponzeto, de 53 anos, tem uma carreira mais ligada à literatura. Ela já teve contos e crônicas publicadas em coletâneas. Em Sonhos de Galinheiro, ela retrata um bancário cujo sonho é se aposentar e comprar um sítio para criar galinhas, mas que acaba criando galinhas em seu próprio apartamento. Lançamento dos livros premiados pela Fundação Conrado Wessel - Quinta-feira, no Museu da Casa Brasileira. Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705. A partir das 19h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.