Prêmio Emmy chega à 58ª edição sem grandes favoritos

A Academia de Televisão dos EUA ainda está indecisa sobre o futuro dos prêmios Emmy que serão entregues neste domingo, talvez para veteranos como "The West Wing - Nos Bastidores do Poder" ou "Família Soprano" ou para estreantes como "24 Horas" e "Gray´s Anatomy", que se propõem a romper padrões.A 58.ª edição da maior premiação da televisão dos EUA acontecerá novamente no Auditório Shrine, em Los Angeles, às 17h (21h de Brasília). Mas o futuro dos prêmios ainda está em aberto, e não há favoritos nas principais categorias.Esse é o caso das séries que concorrem na categoria melhor drama do ano, entre elas duas veteranas e várias vezes ganhadoras do prêmio: "The West Wing - Nos Bastidores do Poder" e "Família Soprano", sobre política e a máfia, respectivamente.Os dois dramas receberam o reconhecimento da Academia de Artes e Ciências da Televisão em anos anteriores, o que pode voltar a acontecer.No entanto, alguns - como o jornal "Los Angeles Times" - apontam a série de espionagem "24 Horas" como a favorita. Candidata ao Emmy como melhor drama também em anos anteriores, a série, no entanto, nunca venceu.Séries médicas bem cotadasSe "24 Horas" não conseguir o prêmio pela sua quinta temporada, que a crítica considera a melhor, talvez seja a vez de algum dos dois estreantes, os dramas médicos "House" e "Gray´s Anatomy", este último de grande popularidade entre os espectadores.Na área de comédia também há incertezas. A vencedora da última edição, "Arrested Development", volta a competir, embora a série não esteja sendo mais gravada.Entre as cinco candidatas anteriores candidatas ao prêmio, também estão "Segura a Onda" e "Scrubs", além da estreante nesta lista, "Dois Homens e Meio".De todas elas, "The Office", a versão americana da sarcástica comédia britânica do mesmo título, parece ser o destaque, especialmente graças ao sucesso de seu protagonista e também candidato, Steve Carell, no cinema com filmes como "O Virgem de 40 anos" ou a estréia de "Pequena Miss Sunshine".Como lembram em Hollywood, apesar de seu longo tempo de vida, o Emmy nunca deixou de ser visto como irmão menor do Oscar, o grande prêmio cinematográfico.O brilho dos dois não tem comparação, e apesar de serem prêmios dirigidos a meios diferentes, os atores que os recebem costumam trabalhar em ambos os mercados.Em uma tentativa de melhorar seu prestígio, a Academia de Televisão mudou as regras do jogo nesta edição, com uma equipe de profissionais que ajudou na seleção dos candidatos.O resultado, no entanto, recebeu tantas críticas como em anos anteriores."Desperate Housewives" e "Lost" ficam de foraEste ano, o novo processo inclui candidatos como Dennis Leary ("Rescue Me") ou Kyra Sedgwick ("The Closer") esquecidos em anos anteriores, apesar da qualidade de seus trabalhos.Mas o Emmy deixou fora as séries mais populares do ano passado, "Desperate Housewives" e "Lost", melhor drama de 2005.Na opinião do crítico Tom O´Neil, os culpados pelas suas ausências são os próprios criadores da série, que não souberam enviar ao comitê técnico o episódio adequado como amostra de seu produto.Mas nem tudo são diferenças entre o Oscar e o Emmy. As duas premiações convergem em um aspecto, ano após ano: no "glamour" do tapete vermelho.Por esta passarela de moda e luxo devem passar no domingo beldades como Kyra Sedgwick, favorita ao Emmy de melhor atriz dramática, Geena Davis, Lisa Kudrow e Sandra Oh.E, como em anos anteriores, Kiefer Sutherland também marcará presença em seu fraque de corte clássico, Armani ou Prada - seus favoritos -, talvez para levar o prêmio de melhor ator por "24 Horas", se o veterano Martin Sheen não repetir a vitória com "The West Wing - Nos Bastidores do Poder".

Agencia Estado,

26 de agosto de 2006 | 19h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.