Prêmio Abit amplia homenagens

No dia 13 ocorre a terceira edição do Prêmio Abit Fashion Brasil, que contempla 25 categorias ligadas ao mundo da moda, desde modelos e stylists até indústrias de tecelagem e fiação. A cerimônia de entrega será na Sala São Paulo, Estação Julio Prestes, com direção artística de Bia Lessa. O grande destaque da noite deve ser o encontro no palco de Maria Bethânia com a atriz e cantora alemã Hanna Schygulla, que já expressou seu desejo de se apresentar no Brasil. As negociações estão avançadas, mas o contrato ainda não foi assinado. O prêmio, promovido pela Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil), é o mais importante do País e contempla o ano de 2001. Esta edição promete fazer uma homenagem ao Brasil, promovendo performances que vão desde meninos empinando pipa até escolas de samba. O ecletismo permeia todo o evento, inclusive entre os 1.200 convidados: há políticos, empresários, artistas, celebridades e, é claro, todos os fashionistas. Segundo Paulo Skaf, presidente da Abit, "o espírito do prêmio é de integração de toda a cadeia têxtil, tanto da parte artística quanto técnica, o que gera um grupo bem heterôgeneo, interessado em criar parcerias produtivas". Uma nova categoria foi criada este ano, a do fornecedor de algodão. "É a nossa principal matéria-prima e a produção triplicou nos últimos quatro anos, tornando o Brasil auto-suficiente em algodão em 2001", justifica Skaf. Segundo ele, o País consome 900 mil toneladas da fibra de algodão por ano, de um total de 1,350 milhão de toneladas de fibras em geral. A homenagem deste ano, como de costume, será para uma personalidade do mercado de moda. A única coisa que se sabe é que a escolhida é uma mulher.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.