Preminger fez história no tribunal

Dr. Dolittle 3

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2010 | 00h00

15H55 NA GLOBO

(Doctor Dolittle 3). EUA, 2005. Direção de Rich Thorne, com Kyla Pratt, Kristen Wilson, John Amos, Walker Howard, Luciana Carro, Tommy Snider.

No terceiro filme da série sobre o veterinário que fala com animais, Eddie Murphy caiu fora e sua filha, interpretada por Kyla Pratt, vira a protagonista. A garota herdou a habilidade do pai, mas tenta escondê-la, com medo de que os colegas a considerem maluca. Porém, num acampamento de verão, quando seus amigos correm perigo, a solução é recorrer aos bichos. O tom é de comédia e vale lembrar que a série toda tem origem em filme de Richard Fleischer, com Rex Harrison, O Fantástico Dr. Dolittle, que será exibido hoje na TV paga (leia adiante). Reprise, colorido, 94 min.

Os Gatões: O Começo

23H10 NO SBT

(The Dukes of Hazzard: The Beginning). EUA, 2007. Direção de Robert Berlinger, com Jonathan Bennett, Randy Wayne, April Scott, Joel David Moore, Sherilyn Fenn, Alex Boling.

Bo e Luke chegam a Hazzard para viver com o velho tio agricultor e logo se unem à prima Daisy para impedir que um empregado inescrupuloso se aproprie da propriedade familiar. O começo de tudo (como indica o título) deixa um pouco a desejar. A narrativa até cria um certo suspense no desfecho, mas aí já é tarde demais e o filme não deslancha. E olhem que não é por falta de experiência. O diretor Berlinger há pelo menos 20 anos tem estado bem ativo na televisão, realizando episódios de séries conhecidas do público da TV por assinatura, como Grey"s Anatomy, Dirty Sexy Money etc. Reprise, colorido, 92 min.

Intercine

1H50 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre - Uma Noiva e Tanto, de Thomas Schlamme, com Mike Myers, Nancy Travis, Anthony Lapaglia, Amanda Plummer, Charles Grodin, Phil Hartman, sobre homem louco para se casar e que, após muitas tentativas frustradas, encontra a que parece ser a mulher ideal, só que ela deve ter algum defeito, qual?; e Domingo Sangrento, de Paul Greengrass, com James Nesbitt, Allan Gildea, Gerard Crossan, Mary Moulds, Carmel Mccallion e Nicholas Farrell, sobre o massacre de civis irlandeses por soldados britânicos, quando participavam de uma passeata por direitos humanos; a história é real e ocorreu em Derry, em janeiro de 1972.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre - Um Presente de Deus, de Gabrielle Burton e Maria Burton, com Ursula Burton, Jill Eikenberry, Seymour Cassel, Louise Fletcher e Cloris Leachman, sobre comunidade que vive momentos de euforia quando cai do céu uma fortuna em notas de US$ 20; anos mais tarde, aparece a fatura para que os incrédulos moradores saldem sua dívida... com quem? (EUA, 2002, fone 0800-70-9011); e Auto Focus, de Paul Schrader, com Greg Kinnear, Kurt Fuller, Willem Dafoe, Maria Bello, Rita Wilson e Ron Leibman, baseado na história real do ator Bob Crane, assassinado em 1978, num quarto de motel; ele levava uma vida dissoluta e, eventualmente, gravava os encontros clandestinos, o que pode ter motivado o crime (EUA, 2002, fone 0800-70-9012).

TV Paga

Anatomia de Um Crime

22 H NO TCM

(Anatomy of a Murder). EUA, 1959. Direção de Otto Preminger, com James Stewart, Lee Remick, Ben Gazzara, Arthur O"Connell, Eve Arden, George C. Scott, Katryn Grant Crosby, Murray Hamilton.

Ao longo dos anos 1950, Otto Preminger bateu-se bravamente contra o código de censura de Hollywood, às vezes por motivos que hoje parecem banais, mas sem os quais o cinema não se teria tornado um meio de expressão adulta. Aqui, o código implicava com a palavra "esperma", dita no tribunal. O filme é sobre este advogado que defende militar acusado de assassinato. O criminoso alega, em sua defesa, que a vítima havia violentado sua mulher. O promotor quer provar que a mulher, além de promíscua, tinha um caso com o morto e o marido agiu por ciúme, de forma premeditada. Diálogos fortes, mise-en-scène elegante - à base de planos-sequência -, elenco estelar tudo isso e a trilha de jazz de Duke Ellington, que aparece em cena. O próprio juiz da ficção é interpretado por um juiz de verdade, Joseph Welch. Um filmaço. Reprise, preto e branco, 160 min.

O Fantástico Dr. Dolittle

0H45 NO TCM

(Doctor Dolittle). EUA, 1967. Direção de Richard Fleischer, com Rex Harrison, Samantha Eggar, Anthony Newley, Richard Attenbouorgh.

Vencedor dos Oscars de efeitos visuais e canção (Talk to the Animals), este musical veio se somar aos fracassos (Cleópatra, A Estrela, Alô Dolly etc) que quase levaram ao colapso a empresa Fox, nos anos 1960. Salvaram-na alguns mega-sucessos (O Mais Longo dos Dias e, principalmente, A Noviça Rebelde). A história trata de médico que consegue falar com animais e inspirou, décadas mais tarde, a série com Eddie Murphy. Leonard Maltin não exagera, em seu guia, ao dizer que pais de filhos insones deveriam levar sua crianças para ver este monumento ao tédio. É como contar carneirinhos. As crianças logo se põem a dormir. Reprise, colorido, 152 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.