Prefeito de NY decreta a volta do humor

O prefeito de Nova York Rudolph Giuliani decretou o fim da tristeza ao participar da abertura da temporada do lendário humorístico Saturday Night Live, da rede de TV NBC. Ele justificou seu apoio por considerar o programa, que está noar há 26 anos, "uma instituição da vida nova-iorquina". "Nova York está aberta para negócios", repetiu o prefeito, que apareceu acompanhado de um grupo de bombeiros e policiais e anunciou uma apresentação especial de Paul Simon no primeirobloco.De acordo com o produtor do programa, Lorne Michaels, a idéia era mencionar os ataques terroristas de 11 de setembro "de umamaneira respeitosa e digna". O clima de seriedade do início foi quebrado quando Michaels "pediu autorização" ao prefeito para que o programa fizesse piadas. "E por que você resolveu começaragora?", perguntou Rudy Giuliani.O programa é exibido ao vivo, a partir dos estúdios do canal no complexo do Rockefeller Center, na região de Midtown, em Manhattan. Giuliani já participou de várias esquetes dohumorístico e chegou a se vestir de mulher em um deles, satirizando uma outra aparição dele em roupas femininas.Os primeiros esquetes do programa, com participação da atriz Reese Witherspoon, tiveram temas fantasiosos, sem nenhuma relação com eventos recentes. O sarcasmo ácido do programa fez falta: boa parte das piadas não empolgou o público.Mas a correção política durou pouco: as sátiras aos ataques terroristas apareceram no quadro Weekend Update, umnoticiário que ironiza fatos da semana. Na seqüência, o programafez uma piada que comparava Osama bin Laden com Adolf Hitler eesculhambou com o reverendo Jesse Jackson: um sósia tentouexplicar se o convite para ele servir de mediador entre ogoverno americano e o Talibã tinha vindo dele próprio ou damilícia do Afeganistão.Até o suposto roubo de toneladas de detritos do World TradeCenter, que rendeu manchetes em todos os jornais da cidade estasemana, foi mencionado. "Um representante da Máfia defendeu-sedizendo que o prefeito mandou todo mundo voltar ao trabalho",disse o apresentador Jimmy Fallon. No final do esquete, os apresentadores pediram contribuições para os fundos de ajuda afamílias das vítimas.

Agencia Estado,

01 de outubro de 2001 | 13h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.