Prefeito de NY cria comitê de censura

O nome dos integrantes do Comitê de Decência de Nova York, braço da prefeitura que ficará responsável por censurar exposições consideradas ofensivas organizadas por instituições que recebem investimento público, será anunciado nos próximos dias pelo prefeito Rudolph Giuliani. A informação foi veiculada hoje por jornais da cidade. O rabino Shea Hecht, do Brookyn, os artistas LeRoy Neiman e Peter Max, o advogado Leonard Garment são alguns dos nomes que receberam convites para integrar o grupo.Segundo os periódicos, as funções do comitê ainda não estão definidas. Outro fator que preocupa a comunidade diz respeito aos critérios que qualificam uma obra como indecente. Em vistas do que foi apresentado até agora, partidários e opositores da idéia têm certeza de que a ação do grupo será controversa. O diário Daily News assinala que Giuliani anuncia na terça-feira os nomes que integram o comitê, que incluirá artistas, líderes religiosos e personalidades afins. O projeto começou a ganhar força no ano passado em conseqüência de uma exposição de fotografia realizada pelo Museu de Arte do Brookly. Entre as peças expostas estava Yo Mama´s Last Supper, na qual uma mulher negra nua ocupa o lugar de Jesus Cristo na bíblica cena da última ceia. A obra deixou irado o prefeito, líderes católicos e grupos conservadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.