Prefeito armênio renuncia após bater em assessor num concerto

O poderoso prefeito da capital armênia, Yerevan, renunciou na noite de quarta-feira depois de uma briga com um dos assessores do presidente Serzh Sarksyan sobre os assentos em um concerto do tenor espanhol Plácido Domingo.

HASMIK MKRTCHYAN, REUTERS

09 de dezembro de 2010 | 09h02

Segundo a mídia local, no dia seguinte ao concerto de 3 de dezembro o prefeito Gagik Beglaryan bateu no assessor Aram Kandayan, encarregado do protocolo presidencial, por ele ter pedido à sua esposa que trocasse de lugar. Ela estava sentada ao lado do presidente.

Um breve comunicado no site da prefeitura confirmou que Beglaryan, membro do governista Partido Republicano, renunciou ao cargo de prefeito, mas não informou os motivos. A capital tem 3,2 milhões de habitantes, equivalente a um terço da população do país.

Um porta-voz de Sarksyan não quis dar detalhes sobre o incidente, mas disse à Reuters: "O presidente da Armênia já disse repetidas vezes que tal comportamento era inaceitável e intolerável, particularmente no caso de autoridades públicas."

Alegações de violência política, incluindo ataques contra ativistas da oposição, continuam a minar a imagem que a ex-república soviética está tentando construir de uma democracia ao estilo europeu.

Tudo o que sabemos sobre:
ODDARMENIAPLACIDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.