Preciosidades em destaque na TV paga

Twitches: As Bruxinhas

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2011 | 03h08

Gêmeas 2

16H10 NA GLOBO

(Twitches Too). EUA, 2007. Direção

de Stuart Gillard, com Tamera Mowry, Tia Mowry, Kristen Wilson, Patrick Fabian, Pat Kelly, Leslie Seiler.

Twitches= twins + witches. A história das bruxinhas gêmeas é uma típica produção do canal da Disney. Depois de salvar o mundo no primeiro filme, elas descobrem que o pai pode estar preso no mundo das sombras e partem para resgatá-lo. A fantasia pode agradar a plateias infanto-juvenis. Os adultos vão achar pobrinha. Reprise, colorido, 83 min.

A Hora do Rush

23 H NO SBT

(Rush Hour). EUA, 1998. Direção de Brett Ratner, com Jackie Chan,

Chris Tucker, Elizabeth Pena, Tom Wilkinson, Philip Baker Hall.

Primeiro da série com Jackie Chan e Chris Tucker. Chan faz policial de Hong Kong que vai a Los Angeles ajudar seu amigo cônsul (da China) a resgatar a filha que foi sequestrada. Um tira local, Chris Tucker, cola nele. E começam as aventuras - ou as confusões? A mistura de humor e violência agradou tanto aos fãs do astro de artes marciais que surgiram A Hora do Rush 2 e 3. Reprise, colorido, 99 min.

Rembrandt Van Rijn

23H30 NA CULTURA

(Rembrandt Van Rijn). Holanda, 2009. Direção de Paul Molijn.

O fato de ser de família humilde não impediu Rembrandt van Rijn de receber boa instrução. Ele frequentou a Universidade de Leiden, mas em 1620 interrompeu os estudos para se dedicar à pintura. No ano seguinte, aprendeu a dominar a técnica no ateliê de Jacob van Swanenburg e virou um dos maiores pintores de todos os tempos. Dar conta dessa genialidade em 52 minutos é tarefa que o diretor Molijn desempenha só em parte. O documentário da Cultura vale como introdução à arte de Rembrandt. Reprise, colorido, 52 min.

TV Paga

Os Incompreendidos

15H55 NO TELECINE CULT

(Les Quatre-Cents Coups). França, 1959. Direção de François Truffaut, com Jean-Pierre Léaud, Albert Rémy, Claire Maurier, Robert Beauvais.

O começo do filme é antológico. A câmera passeia por Paris. Passa pelo ferro, a pedra e finalmente se detém no rosto do menino. Jean-Pierre Léaud é Antoine Doinel, alter ego do próprio autor, que colocou muito de sua experiência como garoto revoltado, com problemas em casa e na escola, no personagem. Assim como a abertura, o desfecho - a corrida para o mar - também, marcou época e influenciou até Glauber Rocha em Deus e o Diabo na Terra do Sol. Considerado o cartão de apresentação da nouvelle vague, o movimento de renovação do cinema francês na época, recebeu o prêmio de direção em Cannes. O curioso é que a emissora exibe antes, às 15h15, o episódio que Truffaut fez depois para o filme-múltiplo O Amor aos 20 Anos. Antoine e Colette trata do primeiro amor do adolescente Doinel. Se você achar que aquela atriz que faz uma participação especial é a jovem Jeanne Moreau, sim, é ela. Reprise, preto e branco, 99 min.

Tônica Dominante

18H45 NO CANAL BRASIL

Brasil, 2000. Direção de Lina Chamie, com Fernando Alves Pinto, Vera

Zimmermann, Carlos Gregório, Vera Holtz. Reprise, colorido, 80 min.

Quem acha que o cinema tem a obrigação de contar uma história com começo, meio e fim corre o risco de se decepcionar. Três dias na vida de um jovem músico correspondem aos três movimentos de uma sinfonia. Vida e música confundem-se para o personagem de Fernando Alves Pinto como para a diretora Lina Chamie. Um filme sensorial, belo de ver (e ouvir). Às 22 horas, o canal exibe A Via Láctea, também de Lina, com Marco Ricca e Alice Braga, cujo ponto de partida são as divagações de um homem preso no trânsito. Reprise, colorido, 80 min.

Janela Indiscreta

22 H NO TCM

(Rear Window). EUA, 1954. Direção de Alfred Hitchcock, com James Stewart, Grace Kelly, Wendell Core, Thelma Ritter, Raymond Burr, Judith Evelyn, Ross Bagdasarian.

Um dos grandes filmes de Hitchcock - um dos maiores? - baseia-se numa história de Cornell Woolrich e coloca James Stewart na pele de um fotógrafo que sofre acidente, fica em casa imobilizado e, para matar o tempo, começa a bisbilhotar a vida da vizinhança com sua câmera. A janela indiscreta vira metáfora do próprio cinema e o suspense se instala quando Stewart percebe que um crime foi cometido e envia a namorada (Grace Kelly) para investigar. Stewart e Grace são ótimos, mas Thelma Ritter, uma das maiores coadjuvantes da história do cinema, rouba a cena como a enfermeira. Reprise, colorido, 112 min.

Poesia

22 H NO TELECINE CULT

(Shi). Coreia, 2010. Direção de Lee Chang-dong, com Yun Junghee,

Kim Hara.

Mulher idosa que sofre do Mal de Alzheimer enfrenta outro grave problema, ao descobrir que o neto pode estar envolvido num crime. O que lhe dá forças para prosseguir é o curso de poesia, no qual ingressa. Uma obra-prima do cinema coreano, recebeu o prêmio de roteiro no Festival de Cannes do ano passado. Densidades, sutilezas e uma grande interpretação de Yun Junghee. Reprise, colorido, 140 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.