Praça Roosevelt inspira peça na Alemanha

No ano passado, a dramaturga alemã Dea Loher passou vários meses em São Paulo colhendo material para uma nova peça. O resultado pode ser visto a partir deste mês no renomado Teatro Thalia, em Hamburgo. Das Leben auf der Praça Roosevelt ("A Vida na Praça Roosevelt") trata do dia-a-dia na cidade de São Paulo. É composta de várias histórias urbanas ambientadas no centro da capital paulista: o policial honesto que procura o filho traficante, o travesti que namora uma secretária burguesa, o fabricante de armas que se apaixona por uma loura misteriosa, o homem com elefantíase.Cada uma das histórias é encenada de um jeito diferente. Segundo o diretor Andreas Kriegenburg, a idéia é criar um ambiente único para cada uma delas sem perder o tema principal de vista. Segundo o diretor, as cenas inspiradas por personagens reais da capital paulista poderiam se repetir também em outras metrópoles do mundo. Diz que sua intenção não era encenar folclore brasileiro, mas, sim, cenas tipicamente urbanas. Segundo ele, a peça mostra a miséria na cidade grande, mas, por outro lado, também acentua a gana de viver de seus moradores.A peça foi produzida em cooperação com o Instituto Goethe e com a Bienal de Artes de São Paulo e deverá ser apresentada em setembro e outubro deste ano em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. Para a dramaturga Dea Loher, a turnê brasileira será uma volta às origens: ela morou por um ano no Brasil na década de 80 e sua primeira peça teve como tema a comunista Olga Benário. Em São Paulo, Dea falou com crianças de rua, prisioneiros e outras pessoas; a peça teve que ser reescrita depois que o apartamento em que ela estava vivendo na capital paulista foi roubado. A Vida na Praça Roosevelt está fazendo sucesso entre os críticos na Alemanha. Agora é esperar a temporada brasileira da peça para ver o que os brasileiros vão achar do jeito que os alemães vêem o seu cotidiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.