Pottermore lança plataforma em português esta semana

J.K. Rowling (foto) sabe como ninguém prolongar o sucesso de suas criações. O primeiro dos sete volumes da série Harry Potter foi publicado no Reino Unido em 1997, mas somente em março de 2012, quando mais de 400 milhões de exemplares impressos já tinham sido vendidos no mundo, eles saíram em e-book. Naquele ano, ela lançou o Pottermore, uma plataforma digital para entreter os fãs do bruxinho, mas, principalmente, para vender os e-books - uma forma de controlar essa transação virtual. De 2000 até hoje, a Rocco vendeu 4 milhões de exemplares da série no Brasil. E só não havia lançado os títulos em digital porque o Pottermore não tinha sido lançado aqui. Nesta semana, a versão em português do site estará no ar. E quem procurar os e-books no site da Saraiva também vai encontrar - a rede é a primeira parceira brasileira da plataforma.

MARIA FERNANDA RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2013 | 02h17

BIBLIOTECA

O que o leitor quer

Na Biblioteca de São Paulo, onde antes era o Carandiru, livros juvenis são os mais procurados. E mesmo não sendo mais a febre da garotada, a saga Harry Potter segue entre os cem títulos mais retirados. No primeiro trimestre, foram 63 empréstimos - e Harry Potter e a Câmara Secreta, o mais bem colocado, ficou na 10.ª posição. No segundo, foram 52 empréstimos.

*

Os mais procurados lá no primeiro semestre foram: Mar de Monstros (74) e A Maldição do Titã (73), da série Percy Jackson e os Olimpianos, de Rick Riordan. Para os mais tradicionais, a notícia é que A Droga da Obediência, clássico dos anos 1980 de Pedro Bandeira, foi retirado 23 vezes.

EDUCAÇÃO

Lição de liberdade

Influenciada por Paulo Freire, a ativista americana bell hooks (ela assina assim mesmo) terá seu Aprendendo a Transgredir - A Educação Como Prática da Liberdade, de 1994, lançado no Brasil em setembro pela WMF Martins Fontes. Na Amazon americana, o primeiro endosso é justamente do educador brasileiro.

FUTEBOL

Histórias de chuteira

Saiu do forno o título de estreia da Firula, coleção da Bateia com a histórias de futebol. A Turma da Baixada, de Lui Fagundes e Fabio Corazza e licenciado pelo Grêmio, revive o primeiro Grenal. O próximo será sobre o Inter, e a editora aceita originais.

INFANTOJUVENIL

Tarsila para todos

A Melhoramentos lança na Bienal do Rio dois livros sobre o universo da modernista Tarsila do Amaral (1886-1973) escritos por Patrícia Secco e Tarsilinha, sobrinha-neta da pintora: o juvenil Um Dia Para Não Esquecer, com ilustrações de Fabio Sgroi, e o infantil Tarsilinha, com traço de Edu Engel (abaixo). O último resgata a infância da pintora de Abaporu (1928). A Callis também tem um livro sobre esse período.

LIVRARIA - 1

Fnac e Kobo, lá fora

É de se entranhar que a Fnac ainda não tenha começado a vender e-books no Brasil, um negócio que começou tímido no final de 2009 e que ganha força a cada dia. Ela diz que ainda não há previsão para isso. Na França e em Portugal, ela só entrou nesse mercado depois que fez parceria com a Kobo, que por sua vez está no Brasil desde o final de 2012.

LIVRARIA - 2

Saraiva e Laselva

Comenta-se no mercado que a Saraiva teria comprado algumas lojas da Laselva, que vive uma crise, e que já estaria até reformando a de Congonhas. Mas a Saraiva diz que é boato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.