Portugal mostra sua arte sacra, desenho e navegações

O Centro Cultural Fiesp, em São Paulo, vai abrigar, de 01 setembro a 06 outubro, uma exposição com 665 obras de arte sacra, das navegações e do desenho portugueses, num evento chamado de A Viagem - Encontro de Dois Povos. A exposição de arte sacra, chamada Tesouros Artísticos das Misericórdias Portuguesas, vai reunir 200 obras de diversos artistas, incluindo peças em ourivesaria. Esses trabalhos foram exibidos durante as solenidades que marcaram a passagem do território de Macau da administração de Portugal para a da China, em dezembro de 1999. A mostra Navegação Portuguesa dos Séculos XV a XVIII, com 165 reproduções, em escala, de navios e instrumentos náuticos, permitirá entender como os portugueses conseguiram chegar a lugares tão distantes como a Índia ou o Japão. Ainda integram a exposição mapas, quadros e várias outras peças e documentos pertencentes ao acervo do Museu da Marinha Portuguesa, alguns deles de autoria de navegadores como Vasco da Gama. Outra grande curiosidade dessa "Viagem" são 300 desenhos pertencentes, nomeadamente, à Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, ao Museu Nacional Soares dos Reis e às fundações Calouste Gulbenkian e Cupertino de Miranda. Segundo os organizadores do evento, esses desenhos, com estilos muito diversos, tem o objetivo de realçar a importância dessa técnica na estruturação das artes plásticas do país, sobretudo a partir do século XIX. Entre os artistas representados na mostra estão Almada Negreiros, autor de desenhos do poeta Fernando Pessoa, Mário Elóy, Domingos António Sequeira, Silva Porto e António Carneiro - este último teve, ainda vivo, duas exposições individuais no Brasil. Idealizado com o fim de fazer com que brasileiros e portugueses se conheçam melhor, o programa prevê ainda a realização de painéis, chamados Um Olhar sobre o Norte de Portugal, com indicadores antropológicos, sociológicos, econômicos e culturais de região da qual vieram a maioria dos imigrantes. A Viagem - o Encontro de Dois Povos inclui conferências, debates e workshops de empresários e economistas sobre o desenvolvimento dos dois países e as possibilidades de comércio. Segundo a entidade responsável pela execução do projeto, a Árvore Cooperativa de Actividades Artísticas, de Portugal, a exposição deve passar também pelas cidades do Rio de Janeiro, de Curitiba e Salvador, em local e data ainda não definidos. Organizado pela Exponor Brasil, ligada à Associação Empresarial de Portugal (AEP), a mostra tem entre seus patrocinadores, além das que cederam as obras, entidades do governo português, como o Icep - Investimento, Comércio e Turismo, e empresas privadas, nomeadamente o grupo Sonae e o Banco Português de Investimentos (BPI).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.