Portinari era apaixonado pelas partilhas de Revena

O pequeno desenho da maquete inédita de Portinari será reproduzido em mural com 3,70 metros de largura por 4,50 metros de altura. ´A igreja foi projetada como na Idade Média. É enorme´, conta o padre Pedro Guimarães Ferreira, da PUC-RJ. O projeto de arquitetura, com 600 m2, foi escolhido por concurso, assim como as três estátuas previstas para o altar.´Para o mosaico seguimos a orientação dos técnicos´, conta o padre. João Cândido Portinari, diretor do Projeto, não conseguiu descobrir onde o pai iria construir o mural, mas tem certeza que deveria ser feito com as pastilhas de vidro fabricadas em Ravena, cidade do Norte da Itália, localizada à beira do Mar Adriático.Um dos mais bem-sucedidos exemplos de arte cristã nos séculos cinco e seis, os mosaicos se desenvolveram em Ravena como resultado da fusão de estilos italianos e orientais. Foi em Ravena que os artesãos usaram pela primeira vez cubos de vidro colorido como tesselas, que acabaram com as limitações para uso de mosaico em pisos, impostas pela pouca durabilidade dos materiais.Os fundos de pedra calcária ou mármore foram substituídos primeiro pelos azuis, depois pelos dourados, dando brilho às composições e a mesma luminosidade dos interiores das igrejas bizantinas.´Eles têm uma grande paleta de cores. Escolhemos mais de 100 para esse trabalho´, conta a arquiteta Isabel Ruas, que dará vida à maquete de Portinari. Isabel foi escolhida pela sua formação, focada nos mosaicos. Seus estudos sobre o assunto resultaram na tese de mestrado ´Painéis em Mosaico na Arquitetura Moderna Paulista´, defendida na USP em 2000. Além disso, é discípula de Antonio Carelli, mestre na tradição de Ravena, que ainda vive. Mora em Caraguatatuba, no Litoral Norte de São Paulo, e recentemente retomou o trabalho com mosaicos.´Carelli viveu em Paris nos anos 50, trabalhando com o grupo da Escola de Arte Aplicada italiana´, conta. A linguagem do mosaico moderno se renovou em Paris nessa época, a mesma do mural de Portinari. ´Ele se apaixonou pelo efeito de cor e brilho dessas pastilhas´, garante João.Isabel pretende usar o corte das tesselas, que devem ser pequenas na tradição italiana, para reproduzir os movimentos do pincel de Portinari.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.