Portal lança e-book infantil

Criar situações inspiradas no cotidiano das crianças, assimilando nomes de pessoas e palavras por meio de rimas, foi o objetivo de Denise Kracochansky, autora do e-book Nomes Que Rimam, que o canal infantil do portal Estadao.com.br, o Estadinho, que estréia neste sábado, dá a seus internautas mirins como presente do Dia da Criança. Com ilustrações de Rubens Lima, o livro poderá ser acessado on-line ou pelo download (gratuito) e os leitores terão uma surpresa, já que a autora garante que "nenhum nome ficará sem rima".Denise explica que, na verdade, Nomes Que Rimam não conta uma história específica, mas reúne um conjunto de situações, associando cerca de 30 nomes e características diversas que fazem parte do universo infantil. "Usar rimas é uma maneira de despertar na criança o interesse pela leitura e o livro eletrônico dinamiza o acesso ao conteúdo literário, já que está disponível a um número maior de pessoas", aposta a autora.Entre um verso e outro, a autora aproveita as situações vividas pela garotada para dar dicas de comportamento, namoro, família, amigos, a vivência na escola e até algumas "bronquinhas" em crianças sapecas que querem brincar com fogo, entre outras travessuras. Além do texto em si, Denise também faz alguns adendos para explicar o significado de algumas palavras, como a própria composição da rima, que, segundo ela, "são palavras com o mesmo final, colocadas em uma frase, formando um som legal".A autora explica que quando escreveu o livro, não adotou nenhum critério para selecionar os nomes que seriam rimados e a preocupação maior foi assimilar questões de comportamento, família, escola, amigos, por exemplo. "Às vezes, escolhia um nome para se encaixar na situação e em alguns momentos a situação surgia por causa do nome", explica. Para exemplificar: "...e a Cristina/Vive reclamando de dor de cabeça/ Até ganhou apelido de Aspirina", ou, então "JoÃO, brincar com o fogo, nã nani nã NÃO".Denise destaca ainda que os personagens da história são os próprios nomes citados no livro e alguns representam crianças e outros adultos. "É um grande elenco, a narradora sou eu, mas quando leio o livro, imagino uma menina passeando pelas páginas e falando o texto.""Mas a idéia principal é fazer com que a criança observe a relação entre o nomes e os objetos, permitir a assimilação entre os nomes e as palavras de acordo com a sonoridade."A Cama Mágica, da D&Z Editora, lançado em 1999 e com uma vendagem de 3 mil exemplares, foi o primeiro livro escrito por esta publicitária, que também atua como contadora de histórias em escolas, feiras de livros e livrarias. "A idéia de escrever rimas de nomes e palavras é antiga; desde pequena, sempre gostei de brincar com as palavras e inventar histórias", explica Denise. Enquanto escrevia o livro, ela lembra que chegou a acordar de madrugada muitas vezes para anotar a idéia de alguma rima.O ilustrador Rubens Lima disse que, para atrair ainda mais a atenção da garotada, foram utilizados recursos de animação gráfica em que as ilustrações acompanham o ritmo do livro, passando de uma cena para outra com rapidez, sem deixar de lado os detalhes do texto e características dos personagens. "As situações que envolvem os personagens ou vice-versa, levam a história de uma maneira leve e divertida, é como se fosse uma brincadeira de palavras e desenhos", explica.Segundo ele, houve uma preocupação em fazer desenhos de fácil assimilação, levando os traços ao alcance das crianças. "Procurei explorar ao máximo os detalhes da ilustração como as expressões dos personagens e das cenas animadas, como o movimento do ponteiro do relógio, fogo, o toque do telefone, ou seja, brincar com a própria história; as crianças gostam disso", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.