Filipe Carvalho/ Reuters
Filipe Carvalho/ Reuters

Porsche chega a acordo com filha do ator Paul Walker, morto em 2013

Meadow Walker alegava que o Carrera GT de 2005 era um veículo instável e que a fabricante fez nada para corrigir o problema

AFP

26 Outubro 2017 | 08h47

A Porsche alcançou uma solução amistosa no litígio judicial com a filha do ator americano Paul Walker, que denunciou a empresa após a morte acidental de seu pai, anunciou nesta quarta-feira, 25, à AFP a fabricante alemã.

"O caso foi solucionado com um acordo entre as duas partes", indicou a montadora de carros de luxo, sem dar detalhes.

Meadow Walker, que hoje tem 18 anos, havia apresentado uma ação contra a Porsche em 2015, dois anos depois da morte de seu pai, estrela da saga Velozes e Furiosos, em um acidente de trânsito a bordo de um veículo da marca.

Ela considerava que a morte foi causada por falhas de segurança do Porsche.

O ator estava no assento do copiloto de um Porsche modelo Carrera GT de 2005, quando o carro colidiu com uma árvore e pegou fogo, em 30 de novembro de 2013. Os dois ocupantes do veículo, Walker e seu amigo e conselheiro financeiro Roger Rodas, morreram.

Os investigadores consideraram que o motorista estava viajando a uma velocidade muito alta, de cerca de 160 km/h.

Segundo o processo, a filha de Paul Walker alegava que o Carrera GT de 2005 era um veículo instável e que a fabricante não tinha feito nada para corrigir o problema.

Também assegurava que o ator tinha ficado preso no veículo e que não pôde escapar das chamas por culpa do sistema de cinto de segurança.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Paul Walker Porsche Hollywood

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.