Por Favor, Cuide da Mamãe narra o luto de uma família

Park So-nyo passou a vida no interior da Coreia do Sul em meio a algodoais e arrozais. Incansável, criava bicho-da-seda, cuidava da lavoura, fermentava malte e vendia lâmpada usada e pote velho para ajudar na renda familiar. Viveu para os filhos, e mesmo quando eles já haviam saído de casa, ela continuou cozinhando e armazenando comida, que ela própria se incumbia de levar para eles na capital. Por isso, a visão da mãe esperando numa praça movimentada, com a bagagem alocada sobre a cabeça, pimentas saindo dos bolsos e berinjelas amarradas às pernas não era estranha ao filho Hyong-chol, seu preferido.

AE, Agência Estado

16 de março de 2012 | 10h16

Essa era, bem na superfície, a mulher que desapareceu na estação de metrô de Seul aos 69 anos e a protagonista de Por Favor, Cuide da Mamãe (Intrínseca). O livro que lançou internacionalmente a sul-coreana Kyung-Sook Shin e está sendo publicada em 32 países, ganhou ontem o Man Asian Literary Prize.

Shin é a primeira mulher a vencê-lo, e esta é também a estreia de um autor sul-coreano na premiação que está em sua 5.ª edição e dá ao vencedor US$ 30 mil. A próxima aposta editorial será I?ll Be Right There, em processo de tradução para o inglês. Aos 49 anos, ela tem ainda outros 5 romances - deve terminar de escrever mais um até o fim do ano, 7 coletâneas de contos e 3 livros de ensaios lançados em seu país.

Quando a história começa, Park So-nyo está desaparecida há uma semana e os filhos estão brigando para escrever o folheto que seria distribuído em Seul. Mamãe, como é chamada durante todo o livro, tinha ido do interior à capital para comemorar o aniversário ao lado dos filhos tão ocupados. Ao chegar, o marido entra no vagão do metrô e só minutos depois, já em outra estação, percebe que ela não está lá. Ninguém nunca mais a vê.

Começa então o processo de lamento, culpa, remorso e luto contado a partir do ponto de vista da filha mais nova, escritora de sucesso que nunca se preocupou em ler seus livros para a mãe analfabeta, do primogênito, que teve uma educação superior a de seus irmãos e se mostrou uma promessa não cumprida, e do marido que sempre a negligenciou. O capítulo que amarra a história é contado pela própria Mamãe - e o único em primeira pessoa. Os outros narradores se dirigem diretamente aos personagens tratando-os por "você", apontando falhas em suas relações com a desaparecida e revelando segredos impensáveis. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

POR FAVOR, CUIDE DA MAMÃE - Autora: Kyung-Sook Shin. Tradução: Flávia Rössler. Editora: Intrínseca (240 págs., R$ 29,90).

Tudo o que sabemos sobre:
livroPor FavorCuide da Mamãe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.