Pombos revelam afresco escondido há três séculos

Pombos esvoaçando através de um buraco no teto da catedral de Valência levou uma equipe de restauradores a descobrir um primoroso afresco com imagem de anjos, obra da renascença, que esteva recoberto por mais de três séculos, anunciou hoje o governo da província. A equipe estava trabalhando no domo barroco da catedral espanhola por mais de um mês, removendo uma camada de tinta cinza e defendendo-se do vôo dos pássaros, quando os técnicos deram com o buraco, de onde ouviam-se os pombos arrulhando. Os especialistas acreditam que encontraram a obra de arte citada nos registros seculares da igreja. O chefe da equipe, Javier Catalá, inseriu uma câmera digital dentro do orifício, em tomadas às cegas, e obteve imagens parciais mas espetaculares de um afresco bem preservado que deve ter mais de 8 metros de diâmetro.O teto barroco mostrou ser falso ? há um espaço de 80 cm entre ele e a pintura -, recobrindo o afresco feito pelos pintores italianos Francesco Pagano e Paolo de San Leocadio. O trabalho lhes foi encomendado pelo enviado papal Rodrigo Borja, um espanhol que viria a tornar-se ele mesmo papa, sob o nome de Alexandre VI.?Ficamos pasmos?, disse Ana Perales, do departamento regional de cultura.O teto escondeu o afresco por mais de 330 anos. As fotos da pintura mostram partes de quatro anjos contra um fundo azul estrela, todos rodeados por aplicações em folhas de ouro.Os registros mostram que, quando os pintores terminaram o afresco, em 1481, os clérigos não gostaram e recusaram-se a pagar o preço estipulado de 3.000 ducados de ouro.A catedral de Valência data de 1262, mas não ficou realmente pronta até o século 18.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.