Poloneses se despedem do poeta Czeslaw Milosz

Milhares de pessoas foram às ruas de Cracóvia hoje para se despedir do poeta ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1980, Czeslaw Milosz, num desfile que percorreu a cidade até o local do sepultamento, no monasterio de Skalka, com transmissão em rede nacional. Milosz morreu no dia 14 de agosto, aos 93 anos de idade, em sua casa em Cracóvia. O sepultamento do poeta foi precidido por uma missa celebrada pelo cardeal Franciszek Macharski na basílica da Virgem Maria deCracóvia, que leu uma mensagem do papa João Paulo II e contou com a presença do ex-presidente Lech Walesa, do primeiro-ministro Marek Belka, além do prêmio Nobel de Literatura 1996, Wislawa Szymborska, e de várias figuras importantes da arte e cultura polonesas. Milosz nasceu em 1911 numa família nobre da hoje Lituânia, durante a ocupação nazista e sob a tirania do stalinismo. Saiu da Polônia comunsita em 1951 e passou 30 anos exilado, vivendo na França e nos Estados Unidos, mas nunca esqueceu sua pátria e jamais abandonou a língua polonesa na qual escrevia. Voltou a Cracóvia no início de 1990.Em português, seus poemas podem ser lidos no livro Não Mais,editado pela editora da Universidade de Brasília (UNB), e na edição portuguesa Alguns Gostam de Poesia, da ed. Cavalo de Ferro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.