Polícia prende segundo suspeito do roubo de "O Grito"

A polícia de Oslo prendeu hoje o segundo suspeito do roubo das obras de Edvard Munch O Grito e Madonna. Segundo a polícia, o homem tem cerca de 30 anos e está detido para ser interrogado. A acusação acontece um dia depois de outro suspeito ter a prisão decretada por quatro semanas por suposto envolvimento no roubo ocorrido em agosto de 2004.A polícia norueguesa não divulgou detalhes de sua investigação e das tentativas de recuperar as duas obras, roubadas por homens mascarados, à luz do dia, no Museu Munch, em Oslo em 22 de agosto.O nome do suspeito acusado hoje não foi revelado e a polícia não disse qual teria sido sua participação no roubo. "Ele foi acusado por fazer parte do roubo", disse o advogado da polícia Morten Hojem Ervik à agência de notícias norueguesa NTB. Ontem, a corte distrital de Oslo ordenou que um homem de 37 anos, que foi preso na sexta-feira, ficasse preso por quatro semanas, durante as investigações que poderiam levar a seu indiciamento por ter participado do roubo.Esta audiência aconteceu a portas fechadas, para impedir que informações sobre a investigação vazassem. A polícia também não revelou o nome deste suspeito.Os dois quadros roubados estão entre as obras mais famosas de Munch. O Grito, um ícone da arte do século 20 que mostra uma figura angustiada que parece estar gritando ou protegendo seus ouvidos de um grito, é muito conhecido para ser vendidos, dizem especialistas. Há outras três versões de O Grito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.