Polícia investiga vídeo de Amy Winehouse fumando crack

Imagens da cantora supostamente fumando crack levam Amy Winehouse a se internar

REUTERS e BBC Brasil

23 Janeiro 2008 | 13h46

A Scotland Yard confirmou que vai examinar um vídeo divulgado pelo tablóide britânico The Sun que mostraria a cantora Amy Winehouse fumando um cachimbo com crack.  Veja também:  Veja reportagem do 'The Sun' Reproduções do vídeos apareceram pela primeira vez publicadas na capa do tablóide Sun na terça-feira, 22, e o jornal Times ouviu o dono da gravadora de Amy dizendo que pode desistir dos planos de promover a cantora no mercado dos Estados Unidos.   "Agentes estarão vendo a filmagem quando nós recebermos da mídia", disse um porta-voz da polícia de Londres. "Depois vamos avaliar as imagens para verificar se alguma ação precisa ser tomada." O Sun afirmou que já entregou o vídeo, feito na sexta-feira de manhã. Horas depois, Amy apresentou-se desgrenhada para uma audiência em que apoiou seu marido, Blake Fielder-Civil, em um processo sobre uma briga em um pub. Nesta quarta, 23, o site NME a Casa Edwards, do Hospital Nightingale de Londres, conhecido por realizar tratamento com usuários de drogas, onde teria ficado por duas horas apenas, sem se inscrever no curso de reabilitação. Amy, um das artistas britânicas de maior sucesso comercial, conquistou crítica e público com seu álbum Back to Black, e recebeu seis indicações para o Grammy em dezembro. Mas os projetos da Island Records, da Universal Music, de promover a cantora nos Estados Unidos devem ser adiados devido ao escândalo do vídeo, segundo disse ao Time o chefe da Island, Nick Gatfield. Amy, de 24 anos, foi convidada a se apresentar na cerimônia de entrega do Grammy, em 10 de fevereiro, mas casos de envolvimento com drogas dificultam a emissão de um visto. Ela foi presa por posse de maconha na Noruega no ano passado.  

Mais conteúdo sobre:
ESPGENTE WINEHOUSE VIDEO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.