Polanski ameaça processar atriz que diz ter sido abusada

Charlotte Lewis diz ter sido estuprada pelo cineasta em 1982, aos 16 anos

EFE,

15 de maio de 2010 | 16h02

Os advogados de Roman Polanski ameaçam processar por calúnia a atriz britânica que diz ter sido abusada pelo cineasta em 1982, quando tinha 16 anos. O francês Georges Kiejman, advogado de Polanski, afirmou hoje na emissora "France Info" que "é inverossímil" o relato divulgado ontem por Charlotte Lewis, e anunciou que, se a atriz formalizar uma denúncia, a processará nos Estados Unidos por calúnia.

 

"Estamos perante uma operação de chantagem de uma atriz que não trabalha há anos", continuou. Polanski está em um chalé nos Alpes suíços em prisão domiciliar. A Justiça local ordenou a reclusão do diretor enquanto é decido sobre sua possível extradição aos Estados Unidos, onde é pedido desde 1978.

 

A atriz Charlotte Lewis (branco) durante coletiva que anunciou o abuso de Polanski

 

No fim dos anos 1970, Polanski deixou os EUA antes de ser condenado por estuprar uma menor em Los Angeles. Polanski não voltou ao país desde então e viveu essencialmente na França, de onde não podia ser extraditado. Porém, ao ir à Suíça para uma homenagem, foi preso pela Polícia local em setembro passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.