Poko Pano dá show de otimismo brasileiro

O primeiro desfile show do dia: Poko Pano, uma das mais importantes da moda praia brasileira. Na passarela, o semi-deus Henri Castelli, que se exibiu sério com três direfentes looks, inclusive uma sunga amarela que causou uma grande agitação. Na boca de cena, ao vivo, a vibração percussiva do grupo pernambucano Nação Zumbi. E, na platéia, um púlico realmente diversificado, que contou com a presença do jovem Lama Michel Rinpoche e da ex-famosa Joana Prado. "Adorei a coleção", disse Castelli, que não abriu o jogo sobre a morte de Lineu. "Acho a moda em São paulo muito profissional, tudo, aliás, e desfilei com um ar sério, concentrado, porque me pediram, apenas", comenta.A Poko Pano apresentou uma das coleções mais concisas da SPFW, em que o colorido e otimismo brasileiro ganharam força em estampas gráficas (um dos ótimos destaques), florais (grandes) e com temas de inspiração folclórica - no caso, a tradição das festas populares de Olinda e do Recife antigo. Isso se reflete em combinações de laranja, pink, amarelo, preto, turquesa, verde e branco. Não há muita ousadia na forma, principalmente depois do desfile da Rosa Chá, que se sobressaiu especialmente nesse sentido. O forte para o verão deve ser ainda os modelos cortininha e tanga com destaque para calcinhas em tamanhos mais ampliados.Por fim, novamente a imagem do belo: Ana Claudia Michels posa de musa do verão. Veja Galeria

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.