Poeta Pablo Neruda é homenageado no Chile

O presidente Ricardo Lagos liderou hoje as homenagens ao poeta e prêmio Nobel de Literatura Pablo Neruda, no aniversário de 30 anos de sua morte. "Hoje rendemos homenagem ao Neruda poeta, político, memorialista, ao que reinventou a história da América em seu Canto Geral", disse o presidente diante da tumba de Neruda.A homenagem oficial, dentro de uma série de eventos organizados para lembrar o autor de 20 Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada, foi realizada no museu fundado em sua casa na Ilha Negra, onde estão os restos mortais do poeta e de sua esposa Matilde Urrutia. Um dia ensolarado, tendo como fundo o oceano Pacífico que tanto encantava Neruda e que foi reproduzido no filme O Carteiro e o Poeta, baseado no livro do escritor António Skármeta.Neruda morreu aos 69 anos, doze dias depois do golpe militar que derrotou o presidente Salvador Allende. Segundo sua viúva, a queda de seu amigo presidente debilitou ainda mais a saúde do poeta, que padecia de um câncer.O funeral de Neruda, um militante comunista, em Santiago, foi o primeiro ato de protesto contra a ditadura do general Augusto Pinochet, apesar de ter ocorrido sob estreita vigilância militar.Após o retorno da democracia em 1990, os restos mortais de Neruda e de sua esposa foram transladados para sua casa na Ilha Negra, um balneário a cerca de 110 quilômetros ao noroeste de Santiago.A casa que foi transformada em museu apresenta uma exposição fotográfica do funeral de Neruda. Depois da cerimônia oficial, uma delegação do Partido Comunista rendeu homenagem ao seu camarada, que foi senador e pré-candidato presidencial de seu partido. O governo de Lagos organiza para o próximo ano uma série de homenagens a Neruda para comemorar os 100 anos de seu nascimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.