Poemúsica, ode a Augusto de Campos

Poemúsica, ode a Augusto de Campos

/ RIO

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2010 | 00h00

A voz de Adriana Calcanhotto e a música de Cid Campos embalaram a poesia e as traduções de Augusto de Campos na noite de terça em Poemúsica, performance que abriu o calendário do Instituto Moreira Salles do Rio dedicado à literatura. O pequeno auditório da instituição ficou lotado, e ainda foi necessário pôr cadeiras no jardim para acomodar os interessados, que chegaram cedo para pegar senha.

Adriana, que se encantou pela poesia concreta de Augusto quando adolescente, e começou a trabalhar com Cid já no início de sua carreira, cantou Sem Saída, de pai e filho, gravada no último CD, Maré. Dos dois projetos como Adriana Partimpim, outros poemas musicados, Canção da Falsa Tartaruga, O Mocho e a Gatinha e Alface.

No show, poemas de Augusto de 50, 40 anos atrás, mas ainda impactantes, como Tensão e Cidade City Cité, sempre com projeções de fotos e efeitos visuais. "Quando foi lançada, o que mais chamou a atenção na poesia concreta foi o aspecto visual, mas tudo começou com música", ele declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.