Poemas inéditos de Waly Salomão antecipam Bienal

Um livro inédito do poeta Waly Salomão, que morreu em 2003, poucos meses depois de ser empossado como secretário Nacional do Livro e da Leitura do Ministério da Cultura, será lançado no dia 12, antecipando a Bienal do Livro de São Paulo que começa no dia 15. Salomão assumiu o cargo em janeiro e morreu em maio. Foi um dos principais assessores do ministro Gilberto Gil de quem era amigo desde os tempos do movimento tropicalista em 1960.O livro Pescados Vivos, com poemas inéditos de Salomão, foi organizado por amigos do escritor e será lançado com uma homenagem dos mesmos, com direito a show acústico de Gal Costa e leitura de textos e performances de Arnaldo Antunes, Cid Campos, Gisela Moreau, José Miguel Wysnick, José Simão, Lenora de Barros, Suzana Salles, Tadeu Jungle, Walter Silveira.Baiano de Jequié, Waly Salomão foi poeta, escritor e deixou vários livros, Gigolô de Bibelôs, Surrupiador de Souvenirs, Algaravias, Lábia e Tarifa de Embarque. O primeiro deles, Me Segura Qu´Eu Vou Dar Um Troço (1971), será relançado na ocasião. O espírito anárquico que marcaria toda a vida e carreira do autor estaria já impresso nesta obra inicial, escrita durante sua prisão no Carandiru, na década de 70, como uma das obras marcantes da poesia experimental. Haverá ainda exibição do DVD Nomadismos, de Solange Farkas, entre outras homenagens.Homenagem a Waly Salomão - Evento para convidados. Lançamento do inédito Pescados Vivos e relançamento de Me Segura Qu´ Eu Vou Dar um Troço. 12 de abril, às 20 horas no Restaurante La Casserole. Largo do Arouche, 346

Agencia Estado,

06 de abril de 2004 | 19h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.