Tony Cenicola/The New York Times
Tony Cenicola/The New York Times

Dá o Play | Podcasts e formatos

Foi-se o tempo em que juntar pessoas ao redor de um microfone, gravar e divulgar a conversa era sinônimo de podcast

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

05 de maio de 2020 | 03h00
Atualizado 19 de maio de 2020 | 15h53

Uma questão sempre latente entre produtores de podcast diz respeito ao formato dos programas. Existe um tuíte antigo que, provocando, diz algo como: “qual é o coletivo de jornalistas brancos? Um podcast”. A piada, que leva um fundo de verdade, também diz respeito à diversidade dos produtores (que, felizmente, já vemos aumentar), mas também à diversidade dos formatos. Foi-se o tempo em que juntar pessoas ao redor de um microfone, gravar e divulgar a conversa era sinônimo de podcast.

Claro que o formato mesa de debates pode render muitos e muitos programas sobre diversos assuntos, e os exemplos correm aos milhares, mas, especialmente no Brasil, é preciso que os produtores se atentem ao fato de que o universo dos podcasts está em contínua expansão, e que explorar os modos de escrever, produzir, gravar e editar conteúdos faz parte da fórmula para desenvolver programas de sucesso. Com isso em mente, sugiro alguns formatos para quem quiser diversificar sua produção. Pretendo trazer exemplos nas próximas semanas.

Entrevista

Outro clássico do podcast, mas que dá um passo adiante ao oferecer visões diferentes e especializadas sobre determinados assuntos. Uma boa entrevista demanda horas e horas de preparação (leituras, análise de contexto, atualização sobre os assuntos em pauta, a definição de uma linha condutora). A empatia do apresentador conta muitos pontos. Bem como um guarda-chuva específico que conecte as diferentes conversas.

Educacional

Pode ser um monólogo ou ter mais de um apresentador, mas o objetivo é claro: ensinar. Pode partir de dúvidas dos leitores direcionados a um especialista de alguma área, ou, quem sabe, professores adaptando suas aulas para o formato em áudio.

Monólogo. Qualquer tipo de tema pode se encaixar nesse formato, da comédia bem desenhada, passando pela autoajuda, críticas de filmes e discos, contação de histórias infantis, crônicas do dia a dia, por exemplo. A preparação prévia de um roteiro é fundamental em todos os casos, mas nesse formato ganha ainda mais relevância.

Documentário

O gênero consagrado do cinema pode ser transposto para as plataformas de áudio, e a criatividade também entra como um diferencial na resposta à pergunta: como ilustrar os fatos sem o auxílio das imagens? Essa questão muitas vezes pode inclusive preceder a escolha de um tema para o podcast. Existe material em áudio, ou que possa ser produzido nesse formato, que vai suprir essa necessidade? Aqui, o planejamento é tão importante quanto a execução.

Ficção

Nos Estados Unidos o gênero (em áudio) já alcança um número expressivo de podcasters, mas no Brasil ainda vejo uma janela para esse formato em específico. Audiobooks à parte, o podcast tem ainda mais flexibilidade de edição e mesmo de divulgação, e pode servir de laboratório para explorações.

*

Registro aqui minha solidariedade a colegas do Estadão e de outros veículos, covardemente agredidos em manifestações no fim de semana. Inaceitável para um país pretensamente democrático.

Tudo o que sabemos sobre:
podcast

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.