Plutão virou planeta anão. Como fica a Astrologia?

Com a decisão tomada pela Assembléia Geral da União Astronômica Internacional (IAU) nesta quinta-feira de excluir Plutão da lista principal de planetas, surge a pergunta: Que impacto essa novidade exerce sobre a Astrologia? "Na verdade, é bem provável que nada mude. A astrologia faz uma análise do movimento dos corpos no céu e Plutão vai continuar se movimentando e influenciando nossas vidas", disse a astróloga Rosa Di Maulo, colunista da revista Marie Claire, ao Portal do Estadão."Plutão, que rege o signo de Escorpião, foi incorporado à astrologia depois de anos de estudo porque descobriu-se que seu movimento tinha relação aos acontecimentos do planeta Terra, e é isso basicamente o que estudamos", ensina Rosa. "Quando Plutão foi visto pela primeira vez, acontecia por aqui a explosão da primeira bomba atômica, logo associou-se o (então) planeta a essa energia", completou ela.A IAU estabeleceu que a partir de agora o Sistema Solar é composto por oito planetas - de Mercúrio a Netuno - , por planetas anões - incluindo Plutão - e por corpos pequenos (asteróides, cometas). Além disso, dois corpos celestes que poderiam ter sido considerados planetas, o asteróide Ceres e o planetóide 2003 UB313, (chamado de "Xena"), ganharam a condição de "planeta anão".Se a saída de Plutão da lista principal de planetas provavelmente não vai acarretar grandes mudanças no plano astral, a promoção dos dois corpos a planetas anões pode acabar com anos de espera. Rosa explica: "Temos 12 signos zodiacais e dez planetas que correspondem a eles, assim dois planetas se repetem: Gêmeos e Virgem são regidos por Mercúrio e Libra e Touro por Vênus. Sempre esperou-se a descoberta de dois novos corpos. O asteróide Ceres e o planetóide 2003 UB313 podem ser esses corpos". Algum palpite? "Eu não sei, ainda é cedo para arriscar algo, os corpos vão ser analisados", disse a astróloga, acrescentando que o assunto ainda não está sendo muito discutido entre seus colegas de trabalho - mas ela garante que a descoberta é relevante e criou no meio uma grande expectativa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.