Platoon faz 20 anos e é apresentado em Cannes

Quando a saga sobre a guerra do Vietnã Platoon estreou, Oliver Stone pensou que seu filme seria uma recordação dolorosa de uma mentalidade agressiva que ele esperava que os Estados Unidos já tivessem abandonado."Duas décadas depois, o país voltou aos velhos hábitos", comentou Stone neste domingo, no festival de Cannes, onde Platoon foi de novo às telas em comemoração ao 20º aniversário do filme. Uma nova edição em DVD deve ser lançada no dia 30 de maio.Baseado nas experiências do próprio Oliver Stone no Vietnã, Platoon retrata o combate com extrema selvageria. "Com a guerra no Iraque, a mensagem do filme foi ignorada", disse Stone."É uma vergonha, pois quando se faz um filme desses, espera-se que ele torne as pessoas mais conscientes sobre o que é uma guerra", disse Stone em entrevista, acompanhado das três estrelas de Platoon: Willem Dafoe, Charlie Sheen e Tom Berenger.A apresentação de Platoon em Cannes foi precedida por cenas do próximo lançamento de Stone, World Trade Center, com Nicolas Cage. O filme é um drama sobre dois policiais presos nas torres gêmeas depois dos ataques terroristas de 11 de setembro.World Trade Center é o segundo filme do ano sobre os ataques de Setembro de 2001. United 93, que também participa do festival de Cannes, é um documentário sobre os passageiros mortos na queda de um avião seqüestrado por terroristas. Oliver Stone disse que as cenas de World Trade Center são complementos para Platoon, já que os dois filmes oferecem uma visão clara da guerra ou terrorismo nas trincheiras. "Quando você vê o que aqueles homens fizeram, isso torna tudo mais humano e faz você entender o que é a guerra e o terror." Platoon é a história de um soldado voluntário (Sheen) que começa sua missão com um otimismo inocente, mas logo percebe a dura realidade de que a única causa pela qual vale a pena lutar é a sobrevivência.O soldado transforma-se em peça central de um jogo de poder entre dois sargentos; um deles (Dafoe) manteve sua humanidade, apesar de ter perdido o idealismo; o outro (Berenger) tornou-se um assassino frio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.