Planeta fashion vive um ano ecológico em 2007

Indústria têxtil confirma que a sustentabilidade social e ambiental veio para ficar

Lilian Pacce,

28 de dezembro de 2007 | 17h23

Em 2007, o verde virou o novo preto. A poluente indústria têxtil começa a ver que, mais do que uma onda verde, a sustentabilidade social e ambiental é um verdadeiro tsunami que veio para ficar. Iniciativas como a da shopping bag da estilista inglesa Anya Hindmarch com a máxima "I’m Not a Plastic Bag" (eu não sou uma sacola de plástico) e a do São Paulo Fashion Week ao lançar a moda da neutralização do carbono reverberaram no planeta fashion, que passou a buscar alternativas ecologicamente corretas sem abrir mão de criatividade e estilo. Por aqui, o fenômeno da shopping bag ganhou a adesão de 120 estilistas que criaram modelos para a exposição itinerante em prol da campanha Eu Não Sou de Plástico, promovida pela secretaria municipal do Verde e do Meio Ambiente, da qual eu tive o prazer de ser curadora. Vai ser o verão da shopping bag. Veja também: Galeria de imagens  Emblemático também é o engajamento da loja de departamentos americana Barney’s, uma das mais bacanas do circuito. Além de criar uma boa seção eco-fashion, onde se encontram coleções de algodão orgânico, bambu e afins, sua incrível vitrine de Natal é toda de material reciclado, como latinhas, tampinhas e garrafas PET. Stella McCartney, a estilista mais verde do alto escalão da moda, lançou uma eco-coleção exclusiva para a loja e também uma linha de produtos de beleza, a Care, que utiliza apenas produtos naturais e orgânicos.  Profissionalização Mas o aquecimento global, o mundo virtual e as redes de fast-fashion estão dando trabalho para o sistema da moda. 2007 é o ano em que a coleção Resort ou Cruise ganhou destaque no calendário de lançamento das grifes. Como o nome indica, Resort é a coleção para férias e festas, mais comercial, lançada apenas para compradores em pequenos eventos no próprio show-room das marcas. Agora não é mais assim. Marcas como Chanel e Dior fizeram verdadeiros shows em Los Angeles e Nova York para chamar a atenção de sua consumidora. Sites de moda, como o onipresente www.style.com, passaram a dar cobertura para o lançamento da Resort . Assim, o desejo do consumidor de luxo ganha estímulo permanente - tentando aplacar a velocidade de redes como Zara, Top Shop e H&M, que chegam a lançar 30 minicoleções ao longo do ano. No Brasil, a moda começa a ganhar status de business. Se lá fora grupos como LVMH e PPR descobriram que moda, luxo e glamour eram bom negócio no fim dos anos 90, agora a ficha caiu para os investidores daqui. E nomes de peso como Arezzo, Ellus, Le Lis Blanc e Zoomp negociaram sua marca entregando ou não o controle acionário. Este é o momento de dar mais um salto na profissionalização do setor. Ao atrair investimento, o estilista pode somar sua criatividade a uma boa administração, construindo assim um branding mais eficaz e poderoso.  40 fatos que costuraram o ano 1- Gisele: a ubermodel que mais faturou no mundo no último ano vira termômetro da economia. Declara que não recebe mais em dólar, só em euro. Não renova contrato com a Victoria’s Secret, onde era a Angel mais-mais, e se engaja em campanha pela preservação de água.2- A gaúcha Raquel Zimmermann se consagra: top n.º 1 do mundo.3- Modelos do ano: Flavia de Oliveira, Barbara Berger, Izabel Goulart, Barbara Fialho e Viviane Orth.4- New faces como Daiane Conterato, Bruna Tenório e Carol Pantoliano viram tops. Sem falar de Laís Navarro Oliveira, promessa. 5- Distúrbios alimentares como anorexia e bulimia pressionam o mundo da moda, exigindo atestado de saúde das modelos e IMC (índice de massa corporal). Karl Lagerfeld reage alegando "fascismo politicamente correto". 6- Meses depois, Oliviero Toscani faz campanha para marca italiana com uma modelo anoréxica nua. 7- Chloe Sevigny, a musa cult do mundo da moda e do cinema, faz campanha para a Ellus em fotos de Marcelo Krasilic e, em vez de desfilar, dá pinta só na primeira fila. 8- Camila Pitanga vira cult graças a Bebel, prostituta na novela das oito. Seu estilo é copiado Brasil afora e ela em si vira modelo de Fábia Bercsek, Cori e H. Stern. 9- Demorou, mas o mundo das modelos chegou a um reality show, o Brazil’s Next Top Model, na Sony. 10- Depois do cabelo de Gisele, o mais copiado foi o corte de Victoria Beckham (Chanel com pontas mais compridas na frente). A sra. Beckham lançou marca própria, articulou a volta das Spice Girls, ganhou figurino assinado por Cavalli, virou habitué dos desfiles de Paris e será garota-propaganda da Vuitton. 11- Wanessa Camargo aderiu ao novo corte Chanel, mas o que deu assunto mesmo foi seu vestido de noiva, assinado por Francisco Costa para a Calvin Klein: o minimalista tomara-que-caia parecia idêntico ao usado pela atriz Cristina Ricci na noite de gala do Museu Metropolitan, em Nova York, na abertura da exposição de Paul Poiret. 12- A exposição do Met em homenagem a Poiret, grande costureiro francês do começo do século 20, está entre as melhores já vistas. 13- Outra obra que seduziu os fashionistas foi o filme Maria Antonieta, de Sophia Coppola. Uma aula de estilo, cartela de cores, desenvolvimento de coleção e trilha. Kirsten Dunst virou ícone-fashion. 14- Valentino comemora 45 anos de moda em Roma, pouco antes de se despedir do prêt-à-porter em outubro em Paris. A jovem Alessandra Fachinetti, que foi da equipe da Gucci, assumirá seu lugar.15- Após sua retumbante saída da Gucci, Tom Ford abre a primeira loja com seu nome em Nova York. Moda masculina sob medida. 16- Dior comemora 60 anos. Ralph Lauren chega aos 40 anos na moda com festa no Central Park em Nova York. Christian Lacroix, aos 20, abre sua primeira loja em NY. 17- Com o fechamento repentino da marca Rochas, o belga Olivier Theyskens assume a criação da Nina Ricci. E Daí Fujiwara estréia na marca Issey Miyake. 18- Depois de dez anos, o americano Jeremy Scott volta a desfilar em Paris com seu estilo irreverente. 19- Tereza Santos assume grife com seu nome depois de 27 anos à frente da Patachou. 20- A ex-modelo Luiza Brunet emagrece muuuuito para desfilar para a amiga mineira.21- Marcelo Sommer estréia com Do Estilista depois de vender a marca Sommer para o grupo AMC. 22- Herchcovitch inaugura loja em Tóquio com projeto de Artur Casas. Após cinco anos à frente da Cori, o estilista volta para a Zoomp onde assume o comando criativo. 23- O artista plástico e stylist Mauricio Ianês, braço direito de Herchcovitch, assume a Zapping e lança linha de camisetas criadas pela banda Cansei de Ser Sexy (CSS). 24- Lovefoxxxx, vocalista da CSS, sempre fashionista, faz editorial para a revista cult Pop e campanha para a estilista inglesa Luella Bartley. 25- Dudu Bertholini e Rita Comparato, da marca Néon, substituem Herchcovitch na Cori. 26- Fashion moments das passarelas nacionais no inverno 2007: as bóias-frias e os adoráveis homens das neves de Alexandre Herchcovitch, a China de Ronaldo Fraga, o frio artesanal em preto/cinza/branco de Isabela Capeto, as replicantes da Maria Bonita. 27- Fashion moments das passarelas nacionais para o verão 2007/08: o carnaval de Gloria Coelho, o Vitor ou Vitória de Alexandre Herchovitch, o tributo à cantora Nara Leão de Ronaldo Fraga, o tributo ao fotógrafo Hiroshi Sugimoto no desfile em branco de Lino Vilaventura, a estréia com piano e ouro de Jefferson de Assis, os azulejos na moda praia de Lenny Niemeyer. 28- Casa de Criadores, que lança talentos, completa dez anos. Walério Araújo se destaca já com a coleção para o inverno 2008. 29- Hedi Slimane, que reinventou a Dior Homem, deixa a marca, assim como a dupla Inácio Ribeiro e Suzanne Clements sai da Cacharel. A poderosa Rose Marie Bravo, que reinventou a Burberry, deixa a vice-presidência da marca inglesa. 30- Morrem os estilistas Gianfranco Ferre e Liz Claiborne, e a editora de moda inglesa Isabella Blow, homenageada por Alexander McQueen em seu desfile para a primavera-verão 2008. 31- A estilista Thaís Losso deixa a marca Sommer e Andréa Marques deixa a Maria Bonita Extra. 32- Estilistas veteranos como Tufi Duek e Clô Orozco passam o bastão criativo de suas marcas – Triton e Huis Clos, respectivamente - para seus assistentes. 33- Jovens estilistas como Simone Nunes, Wilson Ranieri, Priscila Darolt e Jefferson de Assis entram no line-up do SP Fashion Week. 34- No Fashion Rio, novos como a marca masculina Reserva e a feminina Têca, de Helô Rocha, se destacam. 35- Apesar dos escândalos que envolvem sua vida pessoal, Kate Moss é contratada a preço de ouro para assinar coleções para a rede de fast-fashion Top Shop. 36- Já na H&M, Madonna lança linha esportiva e, agora no final do ano, Roberto Cavalli faz sucesso com seus modelos de oncinha. 37- Rehab vira moda: desde o hit da cantora Amy Winehouse até seu look, que inspirou Karl Lagerfeld para a Chanel. E entre um rehab e outro, Marc Jacobs confirma seu novo look, o gato do ano, com bons brilhantes na orelha. 38- Jacobs e Karl Lagerfeld são protagonistas de dois documentários: Lagerfeld Confidential e Marc Jacobs & Louis Vuitton – este vai ser exibido em 2008 no GNT. 39- A japonesa Comme des Garçons anuncia lançamento de camisetas com fotos do artista concreto brasileiro Geraldo de Barros. 40- Viraram moda: as megabolsas, as ankle-boots, os crocs e as botas-assandaliadas, cintos, luvas, balonês, calça skinny, shorts e flores – que ainda vão brotar em 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
fashionbalanço 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.