Pitt vai à delegacia indiana defender seguranças de Jolie

A confusão que envolveu três seguranças de Angelina Jolie com uma multidão indiana na saída de um colégio onde a atriz roda um filme teve ma. Nesta sexta, Brad Pitt, namorado e produtor da atriz, teve de comparecer à delegacia para defender os guarda-costas. Pitt teve que passar 20 minutos na delegacia, onde negou que seus seguranças tenham insultado as pessoas que esperavam a saída das crianças ontem na escola onde Jolie rodava uma das cenas do filme, dizem fontes policiais citadas pela agência indiana "PTI". A denúncia foi feita por um grupo de 12 pessoas que afirmam terem sido expulsas e chamadas de "indianos de merda" pelos seguranças. Segundo testemunhas, a confusão começou após os guarda-costas insultarem algumas pessoas e empurrarem uma criança, que teve que ser protegida pela polícia. Os seguranças foram libertados pelo tribunal de Mumbai após o pagamento de uma fiança individual de 435 euros, sob acusações de terem "causado danos e intimidado com ameaças", além de proferirem "insultos racistas". Angelina Jolie e Brad Pitt estão na Índia para rodar o filme "A mighty heart", uma biografia do repórter americano Daniel Pearl, assassinado em fevereiro de 2002 no Paquistão quando investigava a possível relação entre o governo do país e a rede terrorista Al Qaeda. Os produtores do filme divulgaram um comunicado culpando os "paparazzi" pela desordem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.