Piratas do Caribe lidera novamente bilheteria dos EUA

Terceiro filme da saga não ultrapasssou, no entanto, arrecadação do anterior

Agencia Estado

07 Junho 2012 | 03h38

Piratas do Caribe - No Fim do Mundo liderou a bilheteria na América do Norte pelo segundo fim de semana consecutivo, enquanto a comédia sobre gravidez Ligeiramente Grávidos (Knocked Up) atraiu uma quantidade surpreendente de expectadores. Segundo as estimativas dos estúdios, divulgadas no domingo, 3, a terceira parte da série sobre pirataria da Walt Disney vendeu US$ 43,2 milhões em ingressos nos três primeiros dias de junho. O total do filme em 10 dias foi de US$ 216,5 milhões. O segundo filme da saga, Piratas - O Baú da Morte, arrecadou US$ 258 milhões depois do mesmo período, no ano passado. Mundialmente, a aventura de Johnny Depp arrecadou US$ 625,3 milhões e em breve deve ultrapassar o total de US$ 653 milhões do primeiro filme da série, A Maldição da Pérola Negra, de 2003. O Baú da Morte foi o de maior bilheteria, com 1,1 bilhão. Ligeiramente Grávidos rendeu US$ 29,3 milhões, o equivalente ao seu orçamento de produção. A esperança da distribuidora do filme, Universal Pictures, era de que essa aclamada comédia de Steve Carell tivesse no lançamento a mesma faixa de arrecadação, de 21 milhões de dólares, do filme anterior do diretor Judd Apatow, O Virgem de 40 Anos (The 40-Year-Old Virgin), de 2005. Estimativas A estrela do novo filme é Katherine Heigl (de Grey´s Anatomy), no papel de uma jornalista que fica grávida durante uma aventura de uma noitada de bebedeira com um irresponsável, papel desempenhado por Seth Rogen. Pesquisas realizadas na saída dos cinemas fornecidas pela Universal indicam que 57% do público era de mulheres e que 44% tinha menos de 30 anos. Também é a estréia com melhor crítica deste ano, com elogios de 92% dos críticos, segundo o Rotten Tomatoes (www.rottentomatoes.com), site que tabula críticas. Em meio a uma proliferação de seqüências tipo família, o filme foi "absolutamente um sopro de ar fresco no público alvo", disse Nikki Rocco, presidente da Universal para distribuição nos Estados Unidos. A Universal de um modo geral não tem tido bons resultados nas bilheterias este ano. O estúdio e Carell estarão de volta em 22 de junho com A Volta do Todo Poderoso (Evan Almighty), cujo orçamento, de US$ 175 milhões, segundo informações, faz do filme a comédia mais cara de todos os tempos. Novidades O desenho animado Shrek Terceiro, da DreamWorks Animation, caiu de segundo para terceiro lugar, com 26,7 milhões de dólares. Com isso, a bilheteria acumulada em três semanas ficou em 254,6 milhões de dólares - cerca de US$ 100 milhões atrás de Shrek 2, de 2004. Outra novidade foi o filme de suspense de Kevin Costner Mr. Brooks, que atingiu o quarto lugar no lançamento, com US$ 10 milhões, em linha com a modesta expectativa de sua distribuidora, Metro-Goldwyn-Mayer. Costner faz o papel de um homem muito estimado pela comunidade, que é um serial killer e que, por sua vez, é perseguido por uma pessoa que o espreita. A crítica foi dura e as pesquisas não foram boas. Homem-Aranha 3 caiu de terceiro para quinto lugar, com US$ 7,5 milhões. A história do super-herói rendeu US$ 318,3 milhões em cinco semanas. O total mundial está em US$ 844 milhões, superando os US$ 821 milhões do Homem-Aranha, de 2002, que era o filme com maior arrecadação da série. Homem-Aranha 2, lançado em 2004, terminou com US$ 784 milhões em todo o mundo. A série foi distribuída pela Columbia Pictures, unidade da Sony.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.