Pintura de Jackson Pollock bate recorde em leilão

Uma pintura de Jackson Pollock foi arrematada por US$ 11,6 milhões em um leilão de arte contemporânea da Christie´s. É o maior preço alcançado por uma obra do artista americano. Nº 12, 1949, que pertenceu ao Museu de Arte Moderna de Nova York, o MoMA, estava estimada entre US$ 5 e US$ 7 milhões.A tela foi pintada para a terceira exposição de Pollock na Betty Parsons Gallery, em 1949, que o lançou como um dos fundadores do expressionismo abstrato. Nº 12, 1949 é exemplo da técnica de Pollock conhecida como "action painting", que ele vinha desenvolvendo havia dois anos. A técnica, tornada conhecida no cinema com Pollock, de 2000, que deu a Marcia Gay Harden o Oscar de atriz coadjuvante, consistia em deixar a tinta escorrer e espalhar-se pela tela, no chão, sem o uso do pincel. Nº 12, 1949 foi um dos quadros escolhidos para representar os Estados Unidos na Bienale de Veneza de 1950.Ao todo, o leilão da Christie´s arrecadou US$ 102,1 milhões. É a primeira vez que um leilão da casa dedicado à arte contemporânea fatura mais de US$ 100 milhões. Entre outras obras dos lotes estavam Nº 15, de Mark Rothko, que alcançou US$ 8,9 milhões, e um auto-retrato de Andy Warhol, vendido por US$ 6,9 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.