Pinacoteca abre cinco mostras nesta semana

A Pinacoteca do Estado vai se tornar o ponto alto das artes nesta segunda-feira com a abertura de cinco mostras: Esculturas Monumentais Brasileiras, Esplendor de Vidro - Cristais Fratelli Vita, Um Certo Ponto de Vista - Pietro Maria Bardi 100 Anos, Zool e Os Anjos Estão de Volta. Haverá também a inauguração do BravoCafé do Ramos e do Ateliê de Restauro da instituição. Apesar da diversidade de temas, os módulos estão bem organizados e o visitante poderá fazer o circuito, que dura em média três horas, partindo pela exposição Os Anjos Estão de Volta, localizada no primeiro andar do prédio. Ao reunir 250 peças, entre esculturas barrocas, pinturas, fotos e objetos, a curadora Maria Lúcia Montes fez uma retrospectiva, do século 17 até o final o século 20, traçando uma tênue linha de compreensão que indica os anjos como figuras simbólicas tão poderosas que podem seguramente documentar as várias tradições e períodos culturais. E o efeito é percebido ao contrapor os estilos de Mestre Valentim ao contemporâneo Nelson Leiner, que fez um curioso ônibus cheio de anjinhos para relembrar o terrível episódio da professora morta durante uma ação da polícia carioca para prender o homem que havia sequestrado o ônibus e a mantinha como refém. Baleada, a moça morreu na hora e o sequestrador chegou "misteriosamente" sem vida ao hospital. O caso não é mais notícia, mas merece tal referência. Para reforçar o enfoque místico, o texto de abertura é assinado pelo escritor Paulo Coelho.Um Certo Ponto de Vista - Pietro Maria Bardi 100 Anos, a última exposição da série comemorativa ao centenário de nascimento do marchand e critico de arte, idealizada pelo diretor da Pinacoteca, Emanuel Araújo, estará no segundo andar. "É uma homenagem muito afetiva, baseada na coleção de arte que mostra o Bardi do erudito e ao popular, do europeu ao brasileiro", resume o curador, ao mostrar o módulo composto por peças do acervo particular, um conjunto de ferramentas de carpintaria em madeira e ferro, tapeçarias, pinturas e uma fotobiografia,. "Ele era um homem que gostava de ser fotografado", diz Araújo.Cristais - No último piso estará instalada a mostra O Esplendor do Vidro - Cristais Fratelli Vita. As 519 peças, entre jarras, taças, baixelas, todas produzidas na Bahia, durante a metade do século passado, sairão pela primeira vez do acervo da família Fratelli Vita, sob a responsabilidade de Zélia Bastos, também curadora do módulo. "Foram noites sem dormir, mas graça a Deus nenhuma peça quebrou durante o trajeto", conta ela, ao falar do trabalho de catalogação das peças. Ao descobrir uma matéria-prima rica em chumbo e potássio, o italiano Giuseppe Vita, que chegou ao Brasil em 1882, se especializou na fabricação de cristais. Com uma árdua labuta, ele fundaria anos depois a fábrica do cristal que seria conhecido mundialmente pela sua elevada sonoridade, superando o baccarat, e pela riqueza de detalhes, sempre feitos à mão.Para ser mais preciso, um antigo funcionário da fabrica fará algumas demonstrações na Pinacoteca de como era feito esse trabalho, que exigia antes de tudo paciência, pureza e dedicação.A fábrica viria a ser fechada na década de 60, por não agüentar a concorrência com os cristais prensados, produzidos em maior escala e com preços mais acessíveis.Cafezinho - Só faltam mais dois módulos. Um deles, chamado Zool, está estrategicamente exposto nas paredes do Café na Pinacoteca, também uma nova atração do dia 14, onde um cafézinho com pão de queijo em uma confortável cadeira serão sempre bem-vindos. A cafeteria BravoCafé do Ramos está sendo também uma homenagem a Ramos de Azevedo. O local não terá ares culturais apenas por ficar dentro da Pinacoteca. O espaço vai funcionar independentemente e irá promover exposições pequenas de jovens artistas. Além de encontros e eventos nas quintas-feiras. A cafeteria terá móveis exclusivos do designer Carlos Mota e ainda obras de arte a partir do século 17.A caminho do café haverá uma sala curiosa. Com fornos, chuveiros e grandes mesas, o Ateliê de Restauro da instituição, um dos mais modernos do País, aparece estranhamente em um cenário imóvel. A sala sempre em ação, finalmente inaugurada, será uma espécie de pronto-socorro de todas as obras que entrarem no museu . "Muitas obras chegam com problemas: algumas peças de Bardi vieram com cupim, outras, oxidadas. Até as do Bala vieram da Itália com goma de pintura solta", conta o diretor da Pinacoteca. Mas segundo a restauradora Valéria de Almeida, os anjos é que deram mais trabalho. "Uma boa parte passou por uma maquiagem". Uma espécie de técnica usada para não interferir no estilo do pintor. "Todas as obras que serão expostas no museu passaram por aqui", disse Emanuel. Fotos - Fernando Laszlo discute a estética, o design, as formas e textura dos escaravelhos e besouros na mostra Zool. O tema chega a ser um pouco estranho ao local, mas as 18 fotografias não perdem por isso seu mérito e chegam, quem sabe, a preparar o visitante para um contato mais íntimo com os detalhes da natureza, em uma espécie de jardim das esculturas, no Parque da Luz, a última parada. Avaliada em cerca de R$ 300 mil, a maratona cultural poderá ser vista até o dia 29 de outubro.Pinacoteca do Estado - fica na Praça da Luz, 2, Luz. Tel.:11-- 229-9844). De 15 de agosto a 29 de outubro, de terça-feira a domingo, das 10 h às 18 h. Ingresso R$ 5. Às quintas-feiras a entrada é franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.